March 7, 2008

Relay for Life


Celebrate. Remember. Fight Back.



Este é o slogan do Relay for Life, ou em português, Revezamento para a Vida, o evento anual que a American Cancer Society organiza em todos EUA e em vários países (inclusive no Brasil) para lembrar ao público em geral que a luta contra o câncer continua. O compromisso é de fazer o Relay até que uma cura para o câncer seja descoberta.

Relay For Life representa a esperança de que aqueles que perderam suas vidas para o câncer jamais serão esquecidos, de que aqueles que enfrentam o câncer serão apoiados e de que um dia o câncer será eliminado.


Ontem tive a minha primeira reunião com o pessoal da American Cancer Society e oficialmente aceitei o posto de Head of Mission Delivery, meu primeiro trabalho voluntário desde meus tempos na universidade. Que vergonha! Mas antes tarde do que nunca. Assisti o vídeo sobre a campanha e tive que me segurar para não ir às lágrimas na frente de todo mundo. O vídeo é lindo. Quem quiser ver e se emocionar, aqui vai o link:





É muito emocionante ver comunidades inteiras unidas em torno de um objetivo tão importante. Mais incrível ainda é perceber que laém de pessoas que foram diretamente tocadas pela doença, como pacientes ou familaires, há muita gente que nunca teve um contato tão próximo com o câncer, mas que mesmo assim se dedica apaixonadamente à causa. É nestas horas que tenho orgulho de estar aqui.

Sei que a tendência atual é odiar os EUA e o povo americano, afinal o anti-americanismo nunca esteve tão na moda. Sempre fui contra este tipo de comportamento, pois acho que qualquer generalização é absurda. Como 250 milhões de pessoas podem receber uma mesma classificação? Se isto não é ignorância, então o que será? Principalmente quando o comentário vem de gente que jamais colocou os pés aqui.

Longe de mim dizer que todos os americanos são maravilhosos, melhores ou piores do que nós brasileiros, mas já que reclamo deles, também tenho que reconhecer as muitas qualidades. Eles são eficientes, são profissionais e são caridosos, muito caridosos. O envolvimento da sociedade civil em causas humanitárias é impressionante e eles encaram isso com uma imensa seriedade, como qualquer trabalho corporativo. Vi isso desde o primeiro dia que pisei aqui, há mais de 20 anos, e certamemente foi isso que me fez querer voltar.

Às vezes me pergunto por que demorei tanto a aceitar este compromisso, pois além de abraçar uma causa que me toca fundo, o trabalho voluntário é uma forma ótima de fazer novos contatos e me manter ocupada. Para variar, não tenho a resposta, mas acho que este tipo de coisa a gente não escolhe, acaba sendo escolhida. Meses antes da minha segunda cirurgia, depois de ter esperado os tais cinco anos desde a primeira, comecei a me aproximar da ACS, mas ainda tinha muitas dúvidas e acima de tudo, muito medo. E mais uma vez, o destino ou "Ele lá em cima" se encarregou de me mostrar o caminho.

Ontem saí do escritória da American Cancer Society sentindo algo que há muito não sentia, um sentimento de encontro, de resposta a um chamado, de início de uma missão. Estou muito feliz com meu novo trabalho, que se não vai me trazer as tais verdinhas, já está me trazendo um ânimo renovado.

2 comments:

Malu said...

dani, fiquei tão feliz por você ! É muito bom mesmo recomeçar, traçar metas num novo trabalho, conviver com pessoas e trocar experiencias. Gratificante ! Tomara q daqui a pouco essa satisfação seja na área financeira tb. vc merece !
Vi o video no seu orkut. E chorei. chorei e chorei ! É isso mesmo. Ver um tantão de gente em prol de uma causa dessa nos deixa muuito emocionados. Enfim. Um beijo !!!

Andréa N. said...

Eu sei exatamente o que vc quer dizer, Dani. Foi assim que me senti logo depois de me tornar vegana. Esse exato sentimento me invadiu e tomou conta, fiquei enlouquecida! (no bom sentido). :) Foi quando resolvi comecar o blog vegano. E a coisa esta crescendo tanto que eu tambem sinto que tenho e quero fazer muito mais pelos animais. E eh o que vai acabar sendo meu trabalho daqui a pouco. Ueba! Vamos encarar a missao, querida!