March 4, 2008

Da Revolta à Ação

Ontem, depois do telefonema para o consultório do Dr. Choti, saí daqui cuspindo marimbondo, como diria a minha avó. Liguei pro Blake, desfiei um rosário muito mal-criado e saí porta a fora revoltada.

Tinha que passar no correio para mandar umas coisas e de lá vi o escritório regional da American Cancer Society. Já falei aqui que tinha começado a me envolver nos eventos deles pouco antes de voltar ao Brasil no Natal e obviamente depois do susto lá no Brasi, tinha dado uma boa sumida. Então aproveitei a oportunidade e resolvi dar uma passada lá. O objetivo era justificar a minha ausência, mas como a história do médico de Hopkins estava engasgada, acabei contando o caso à Diretora de lá. Ela olhou para mim um pouco surpresa e disse: "Você está muito bem!" Pois é, o povo acha que quem tem câncer de fígado tem que parecer morto-vivo. Devo ser uma das poucas exceções. Graças a Deus. Depois do comentário, ela disse que aquilo era inaceitável e que ia me colocar em contato com outros médicos que iam me dar a atenção merecida. Gostei da atitude dela ao telefone. Falou direto com a secretária e explicou o meu problema e já deixou claro que não aceitaria aquele tipo de tratamento. A secretária fui muito solícita e entrou em contato comigo depois de chegar as agendas confirmando a consulta para sexta-feira.

Estou um pouco em dúvida porque queria mesmo que o tal Choti avaliasse meu caso, afinal ele é o papa do hepatocarcinoma fibrolamelar. Como estes médicos são sub-especializados. Tem o gastroenteorologista que se especializa em fígado e vira hepatologista, que se for fazer cirurgia vira cirurgião-hepatologista e se for especialista em tumor vira cirurgião-oncologista....até chegar ao tal Dr. Choti que é isso tudo com foco em câncer primário de fígado, mais especificamente no tipo de tumor que eu tive. E o tipo do tumor que eu tive é a exceção da exceção, pois câncer de fígado ocorre mais na Ásia e na África, em pacientes do sexo masculino, de idade avançada que tem histórico de hepatite, cirrose ou alcoolismo. Obviamente não me encaixo em NENHUMA destas especificações. Não falei que tudo comigo tem que ser diferente???

Mas hoje estou me sentindo muito melhor, como se tivesse retomado as rédeas do meu destino. Liguei e falei com a secretária do Dr. Choti, que desta vez recebeu o fax e disse que vai entrar em contato comigo ainda esta semana. Além disso, vou começar um trabalho voluntário na American Cancer Society aqui da cidade e deve ser algo legal para me ocupar o tempo, pois como diz a Isabel, "cabeça vazia é oficina do diabo." Então a minha tem que ficar sempre cheia, borbulhando de idéias para colocar em prática.

2 comments:

Cristina said...

Tenho orgulho de vc! Lembro que antes de entrar para o nosso ex-empregador, eu fiquei 4 meses sem trabalho e minha dissertação de mestrado não saia. Vc vai ver, daqui a pouco vc tá escolhendo qual emprego quer, sendo uma voluntária e o Blake é que vai te lembrar que uma amiga sua, "uma tal de Cristina" vai vir jantar com vcs numa noite. :-)

Dani said...

Cris,
Que bom que vc lê e comenta! Sinto falta de diálogos em português por aqui! Eu adoro seus comentários!!!
Deus te ouça. Agora estou saindo para almoçar com a minha ex-chefe, que é muito legal.
Beijos
Fani