September 18, 2008

Minha Avó


Hoje está sendo um dia difícil para mim. Aliás, desde semana passada tenho estado bastante tensa por conta de um procedimento ao qual a minha avó foi submetida ontem à noite. A última notícia que tive foi de que houve alguma complicação no final e agora a minha avó se encontra em coma induzido. Segundo a plantonista da clínica, o estado dela é estável. Será que alguém poderia fazer o favor de me explicar o que é isso? Não sou médica, não sei. Depois de passar a noite em claro, estas são as únicas notícias que tenho. Sinto meu coração bater forte. Um gosto ruim na boca. Uma angústia que não me deixa respirar direito.

Faz uma semana que não durmo bem. Ontem, nos poucos minutos que consegui cochilar, tive pesadelos. Hoje sinto um aperto terrível no peito. Nestas horas é que a gente sente como é horrível estar longe. Esta distância, esta sensação de impotência... Ainda mais para alguém como eu, que gosta sempre de acompanhar tudo de perto, de fazer perguntas, de tentar entender o que se passa. Este exílio é um castigo.

Ontem a minha avó fez uma ablação cardíaca, um procedimento minimamente invasivo que tenta corrigir arritmias, que são batimentos irregulares no coração. Depois de muito pesquisar, cheguei a conclusão de que os riscos eram mínimos, mas nem assim fiquei em paz.

Nos últimos anos a minha avó tem sido uma guerreira, passando por uma cirurgia após a outra. Nestes últimos cinco anos ela operou hérnia, teve linfoma, operou o colo do fêmur, catarata, mas nada disso tirou a força dela. Também teve um período de depressão, depois que começou a sentir os batimentos irregulares e passou a enxergar mal, depois de ter feito a primeira cirurgia de catarata, já que os graus de miopia ficaram muito diferentes. Ficou mal há alguns meses, mas depois de tratada, voltou a ser a Rutinha de sempre, forte e corajosa.

A minha avó fez 80 anos sábado – o tempo passa muito rápido. Teve direito a uma bela festa e estava linda e feliz, cercada da família que tanto ama. Pena que não pude estar lá com ela, celebrando a vida de quem sempre teve uma influência enorme sobre mim: foi ela que me apresentou a coisas que acabaram por formar a minha personalidade, como literatura, ballet e música clássica. Ela tem uma importância tão grande para mim que toda noite rezo para que Deus deixe meus avós por aqui para que meus filhos tenham o privilégio de conviver com eles. Meu avô também é um caso à parte, mas deixo para outro post, pois hoje não consigo pensar em nada, este aperto no coração me sufoca. Só me resta rezar para que mais uma vez a miha avozinha saia desta forte como sempre e que continue por muitos anos por aqui com a gente, esperando os meus filhos chegarem.

2 comments:

Anonymous said...

Dani, sou sobrinha do Dr. Joaquim. Estou tentando entrar em contato com vc e não consigo. Caso vc possa, me envie seu email para nos falarmos melhor. Muito obrigada por todo apoio, toda nossa familia gosta muito de vc mesmo sem te conhecer pessoalmente. Já que virtualmente já me sinto até um pouco sua amiga. Sua força, felicidade e alto alto astral contagiam meu dia!!! Rezo pela sua avó e espero que ela melhore logo!!! Mais uma vez muito muito obrigada! As suas palavras confortaram muito meus avós, que tbm já sao idosos, vovô tem 86 e vovó 79. Beijos Ana Rosa. Ahhh meu email é anarosamagalhaes@hotmail.com

Re said...

Queridia, o coma induzido significa que a pessoa está medicada de modo que repouse profundamente e seus sinais vitais e condições atuais do organismo sejam preservados até que este reaja da melhor forma possível à intervenção, ao tratamento.

Evita que o paciente tenha emoções fortes (tipo: visitas de familiares, ou, com a expressão facial dos médicos (que pode deixá-lo preocupado, ansioso, assustado, etc), em suma: evita estresse físico e emocional.

Para Deus nada é impossível e Ele devolverá a saúde e a força a sua avó, tal como fez com você.

Fique calma, fique bem, confie Nele que tudo está na mais perfeita ordem segundo Sua vontade. ;)

ENORME abrowser.