September 28, 2008

A angustia continua...

As visitas ao hospital sao muito dificeis, pois ver a minha avo naquele leito e duro demais. Imaginar que ha duas semanas ela celebrava seus 80 anos e estava tao bem...

O quadro continua grave e, de acordo com o medico, e mais grave do que semana passada por conta da embolia e dos trombos, o que torna tudo muito imprevisivel.

Estou cansada de saber que ciencia nao e matematica. Os medicos de plantao que me perdoem, mas cada vez mais chego a conclusao que na condicao de pacientes somos meras cobaias nas maos de medicos, que por mais que se esforcem em nos entender, muitas vezes estao tao perdidos quanto nos, reles mortais. Eles ate querem ter todas as respostas...mas no fundo tem muito mais duvidas.

Olhando pra minha avozinha ali, tudo que peco e que Deus a tire daquele lugar e que se ela tiver que partir, que nao seja naquela UTI escura e fria, que seja depois, em casa ao lado da familia. Feliz. Infelizmente falo com conhecimento de causa -- eu detesto escuro e frio, detesto cama dura e colchao plastico, detesto tubos e cheiro de hospital, detesto doenca -- so quem passou um dia numa UTI sabe do que estou falando.

A minha avo adora viver, mais do que qualquer pessoa que tenha conhecido, entao luta bravamente, do alto de seus 80 anos. Ela luta porque quer ficar conosco, porque quer brincar com a bisnetinha dela e celebrar os 60 anos de casamento em julho do ano que vem. Ela luta porque quer passar mais um Natal em familia, e pelo simples fato de AMAR a vida, como ela sempre diz.

O mais triste e pensar que ate muito pouco tempo atras isto parecia tao possivel e proximo e hoje, a simples presenca dela nao passa de um enorme ponto de interrogacao. Procuro nao pensar no pior, mas vez ou outra, pensamentos sinistros tentam se instalar em mim. Me esforco para mante-los longe e como sempre penso no proximo Natal, o Natal deste ano que TEM que ser feliz. Vejo a minha avo sorridente trazendo a torta de nozes, especialidade dela e receita de familia, ganhadora de premios e tudo. A tal torta deliciosa que ainda nao aprendi a fazer... Sera que ainda ha tempo? Sera que ainda vou poder aprender com ela?

Meu ultimo Natal foi muito triste. Apesar de estar reunida com a minha familia aqui no Rio, tinha acabado de saber que a minha segunda cirurgia hepatica era inevitavel. Naquele momento tambem tive tantas duvidas, o futuro me parecia tao incerto como nebuloso... Mas pedi muito a Deus para que o Natal de 2008 fosse perfeito e que eu vivesse para ver aquilo. Eu estou aqui e saudavel, mas agora continuo pedindo muito a Deus para que a minha avozinha esteja aqui conosco para celebrar mais um Natal, muito mais feliz do que aquele que passou...

3 comments:

Cristina said...

Puxa Dani... imaginei que vc estivesse aqui antes de ler logo abaixo que você está no Rio. Só Deus sabe a resposta e achei muito bonito o que você escreveu. Se precisar de mim, sabe onde me achar - fiquem com Deus. O dia já está cinza e triste o suficiente...

Roy Frenkiel said...

Vai passar. Sem sacanagem. Vai passar.

bjx

RF

Debora Rocha Muscutt. said...

Dani, eu sei muito bem o que é conviver com um ente querido no CTI, ver tudo isso e ficar ali, parada, respeitando os horários de visita, sem poder fazer nada a não ser pedir a Deus que na Sua infinita misericórdia tome conta dos nossos queridos e os traga de volta para casa. Saiba que estou orando por sua vovózinha. De verdade, eu creio em milagres!
Um beijo.