February 16, 2009

Não sabendo que era impossível, foi lá e fez

Esta frase de Jean Cocteau sem dúvida uma das minhas máximas favoritas. Para dizer a verdade, acho que é a minha frase favorita no momento, a que mais me inspira.

Sempe adorei os trabalhos do Cocteau e a versão cinematográfica dele para o clássico "A Bela e a Fera" é imperdível. Me lembro como se fosse hoje da primeira vez que vi o filme, no terceiro ano de faculdade. Fiquei encantada.

Mas apesar de adorar o aspecto noir que ele deu a um clássico da literatura infantil, o que mais gosto do artista francês é a frase curta mas que diz muito: Não sabendo que era impossível, foi lá e fez.

Sempre fui muito criteriosa e procurei me cercar de evidências para ir atrás do que eu queria. Sempre precisei de muito embasamento para defender a minha causa e algumas vezes acabei desistindo antes de tentar...

Não me lembro da primeira vez que ouvi a frase, mas no final de 2007, logo depois de ter descoberto que a cirurgia hepática era inadiável, vi a citação e na mesma hora decorei. ""Não sabendo que era impossível, foi lá e fez" Pronto tinha achado ali o meu slogan!

E desde então sempre paro para pensar em quantas coisas acabei conseguindo sem ter noção da real dificuldade que se apresentaria a minha frente. Umas coisas bem cotidianas e outras coisas mais complicadas.

Umas semas atrás escrevi uma matéria que vai sair na Noivas Rio de Janeiro no final do mês que vem. A matéria era sobre noivas que organizaram o casamento no Rio mesmo estando no exterior. E depois de entrevistar as cinco noivas -- que tem histórias interessantíssimas para contar -- cheguei a conclusão que nenhuma sequer havia casado no Rio. Sem que eu ao menos perguntasse o motivo a resposta foi uníssona "era complicado demais!" E usando a razão, elas se casaram nos mais diversos lugares, nos Estados Unidos, na Itália, na Inglaterra... até mesmo quando os dois cônjuges eram brasileiros.

E eu me casei no Brasil, apesar de toda a burocracia, apesar de não conhecer ninguém que tivesse percorrido aquele caminho antes, apesar de não ter noção da confusão que me aguardava. Como fui louca! Louca por vários motivos, mas principalmente louca por ter me casado com um homem estrangeiro e não-católico no Brasil.

Acho que se tivesse usado a razão, teria me casado nos EUA e depois voltado ao Brasil para fazer uma festa, sem casamento na Igreja. Mas como sou teimosa e às vezes mal-informada, acabei tendo o casamento dos meus sonhos: no Brasil e na Igreja Católica Apostólica Romana. Além da burocracia do cartório, enfrentei a burocarcia da Igreja Católica e as correspondências entre as arquidioceses do Rio e de Baltimore, e para aumentar meu stress ainda tive que lidar com as idas e vindas da imigração americana às voltas com a papelada do meu visto. Pensei na hora: se o Blake não fugir agora, não sai do meu lado nunca mais!

Um outro exemplo da aplicação da frase do Cocteau foi quando decidimos comprar a casa aqui. Mais uma vez não fazíamos a menor idéia do que nos aguardava. Para que a compra da casa dos nossos sonhos fosse possível vários fatores teriam que funcionado exatamente como funcionaram...se um dos fatos que contribuiram para a realização do nosso sonho tivesse sido alterado, nossa mudança não teria se tornado realidade. Foi incrível -- desde coisas muitos ruins que acabaram se transformando em bênçãos, até fatos extremamente improváveis e até insólitos tiveram que ocorrer para que nós chegássemos no destino final. Os esotéricos certamente diriam que o universo conspirou a nosso favor, que os planetas estavam todos alinhados conosco mas que o improvável se tornasse possível e viável. Mas foi o que aconteceu. Como tudo foi acontecendo de uma forma tão rápida e coordenada, não tivemos muito tempo para pensar e analisar as coisas. Melhor assim.

E tenho muitos outros exemplos em que a "ignorância" certamente conspirou a meu favor. Tenho que dar o braço a torcer e concordar com um ditado que se ouve por aqui "Ignorance is a bliss".

Acho que aos poucos vou aprendendo que de vez em quando é melhor não querer saber tudo, pois parafraseando o gênio francês, quando não sabemos que é impossível, só nos resta tentar fazer...

4 comments:

marilisa said...

Dani, nos conhecemos pela comunidade do orkut, quando eu estava organizando meu casamento no Rio. Talvez, vc não se lembre de mim. Acompanho seu blog, pois acho uma história linda de superação. Assim como vc, tbém realizei meu sonho de casamento em igreja católica apostólica romana e meu marido é tbém um não-católico. Tudo parecia impossível, organizar um casamento à distância, moro em SP, claro que nem se compara a sua distância, estando nos USA, mas mesmo assim, consegui organizar tudo em 2 idas bem curtas ao Rio e muito graças à ajuda de pessoas queridas que conheci na "noivas Rio de Janeiro", inclusive vc!!!
Concordo: "Não sabendo que era impossível, foi lá e fez!"
E vamos que vamos!!!!
Um grande beijo!!!!!

Dani said...

Marilisa,
Vc nao vai acreditar, mas ontem procurando uma mensagem no meu gmail, acabei lendo uma troca de emails nossa. Vc nao e paulista que casou no Rio? Controladora de voo?
Inacreditavel!!!
Fico tao feliz de saber que voce vem me acompanhando aqui sempre e mais ainda pelo seu casamento ter saido como vc sonhou. Depois me mande as fotos!
Bjs
Dani

Fernanda - www.fernandafranca.com said...

Isso aí, vamos lá e vamos fazer, Dani :o)

marilisa said...

Dani, sou eu mesma!!! Que memória boa, menina.
Que tamanha coincidência, vc ter visto um e-mail nosso, muito legal!!!!
Vou te mandar as fotos do casamento.
Ah, descobri que temos um amigo em comum.... o Dida que tem um albergue em botafogo.
bjo,bjo!!!