January 25, 2009

Buenos Aires





Engana-se quem pensa que este post aqui vai falar sobre dicas de Buenos Aires. Eu amo a cidade e o povo, mas deixo as dicas para aqueles que tem mais paciência para o assunto.

O post de hoje é uma homenagem à Inês Gomide, nossa agente de viagem favorita, que fez com que eu tivesse a despedida de solteira mais divertida e estilosa do mundo. Afinal não é qualquer agente que consegue passagem e hospedagem para cinco peruas que decidem organizar uma despedida de solteira bem durante o carnaval, com mais ou menos duas semanas de antecedência -- isto é bem a nossa cara, a minha e a das minhas amigas-peruas nas fotos do post de hoje.

A viagem foi 10, e acreditem se quiser, com tanta mulherada junta não houve um momento de stress sequer. Nem briga pelo secador, que era UM para todas as jubas. Só a precavida da Michelle se lembrou de levar o dela, mas felizmente a minha galera sabe bem viver em grupo e como dá para ver pelas fotos, ninguém saiu de cabelo molhado.

Mas voltado à Inês, há poucos dias soube que ela tinha partido, serena e em paz. Como disseram os filhos, viveu intensamente cada minuto da vida que lhe restava, fazendo o que gostava, trabalhando, sambando, amando os filhos e os amigos intensamente. A Inês tinha uma energia que dava para sentir até ao falar com ela no telefone. Por incrível que pareça, jamais a vi, mas nos falamos, trocamos emails e scraps no Orkut e apesar de saber que ela tinha estado doente, a notícia da sua partida me pegou de surpresa e me deixou triste.

Mas achei o texto que os filhos dela leram na missa de sétimo dia e depois enviaram a todos na lista de amigos dela tão bonito que resolvi compartilhar com vocês. A Tati e o Mariano (filhos da Inês) são de uma sabedoria e de uma serenidade imensas. Eles obviamente tem e para sempre terão saudades de uma mãe tao querida, mas também tem a certeza de que a passagem dela por aqui foi, como eles dizem, INESquecível.

Divido o texto lido na missa e umas fotos tiradas em fevereiro de 2007 em Buenos Aires, numa viagem que para sempre vou guardar no meu coração e que só foi possível graças à dedicação da Inês (que foi uma verdadeira mãe para gente) e à loucura das minhas amigas queridas!

Que saudade do povo do Rio...


------------

Mensagem dos filhos Tatiana e Mariano



Foi um choque, um susto, uma Dor esperada, mas nunca calculada. Certamente a maioria pensou “Mas ela estava tão bem!”. Sim, ela estava bem!

A mensagem que queremos passar aqui é a sua maior lição de vida, a maior de todas as suas brilhantes qualidades... a VONTADE DE VIVER. No samba ... alto astral contagiante, Na família ... a Super-Mãe e Coruja que sempre foi, No Turismo... a mulher mais cheirosa. Nossa mãe tem diversas faces e cores mas uma coisa é unânime entre todos que a conheciam: ESTAR COM A INÊS É SENTIR A ENERGIA... “DA VIDA”!

Quando pensamos na nossa Dor, na Saudade, que literalmente dói no peito, nos desesperamos... confessamos que é quase um momento de incompreensão... pois acreditávamos do fundo do coração que ela venceria esta guerra. Inicialmente veio o sentimento de fracasso... de decepção, 3 anos de luta ... fizemos de tudo.... o possível e O Impossível.... É como se faltasse a explicação do MOTIVO. Por que, Meu Deus, Por que?

E no instante seguinte a resposta veio e é ela que queremos compartilhar com vocês.
Por toda a sua magnitude na vida, a mamãe era uma mulher que não merecia sofrer.
O final desta doença, na gravidade e na agressividade que era o seu tipo específico, seria de muito sofrimento ... dor intensa e internação.

Mamãe é tão especial, que viveu até o último segundo de qualidade de vida... daqui para frente o quadro da doença começaria a se agravar, e o que lhe esperava ... certamente ela não merecia viver.

Uma mulher que faleceu de câncer, estando 5 dias antes na Rua da Pedras em Búzios comendo camarão, e 15 dias antes em Salvador sambando no show de sua Grande Amiga e Irmã.

E aí veio a compreensão. A mamãe viveu até o seu ÚLTIMO fôlego. Sim, a palavra é Fôlego. Não pensem que era fácil .... o esforço de andar já era grande, mas a sua vontade de viver, sua garra, sua fibra falavam mais alto.

No momento em que a bateria da qualidade de vida se acabou, Deus, acompanhado pela Nossa Senhora de Natividade, a levou, pois o que viria daqui para frente ela definitivamente não merecia viver.

A mensagem é essa... É FAZER VALER cada momento de nossas vidas... é dar valor PRA VIDA como ela é.... Problemas? O que pode ser um problema, depois dessa lição de vida que ela deu a nós e a todos que a amavam? “ Carrego o tumor, o peso da morte a qualquer hora, mas me dá um chopp e vamos pro Samba!”

No último minuto no enterrro nós nos prometemos um ao outro: AGORA É FAZER VALER E HONRAR CADA SEGUNDO DE NOSSAS VIDAS!
Essa é a sua maior lição!

Vamos honrar os ensinamentos desta mulher, que viveu os seus 3 anos de doença mais intensos de toda a sua vida!

Agora vamos apenas citar um trecho de suas consultas com um de seus médicos preferidos, o qual servirá de exemplo para muitos amigos:

Médico: “Maria Inês, não encare isto como um castigo e sim como uma OPORTUNIDADE. Muitas pessoas saem desta vida de repente, sem ter tido a oportunidade de encará-la com o valor e a intensidade que você está vivendo desde a descoberta dessa doença.”

E sua resposta foi:

“Você consegue descrever em palavras o que sinto... Eu jamais teria tido a oportunidade de ver o amor e dedicação dos meus filhos comigo se eu não tivesse esta doença... O carinho dos meus amigos e da minha família é a coisa mais linda que eu já vi, e parece que o valor disso só veio ser reconhecido de verdade depois da doença. Talvez, se eu pudesse voltar atrás, eu não sei se escolheria não passar por isso...”

E um grande complemento, também deste mesmo médico, um guru em sua vida:

“Antigamente, na medicina, o conceito de saúde era ausência de doença. Hoje, Saúde é igual a Saúde Mental. Você tem essa doença, é grave, é difícil, mas você vive com alegria, você sai, você samba, você viaja, você VIVE! Eu olho pra sua vida, e não consigo dizer que você não é uma pessoa saudável. Entretanto, há pessoas que não tem nem resfriado, mas vivem amarguradas, só vivem os problemas... ou simplesmente as pessoas que tem uma doença e que se entregam, que se recusam a se tratar... ISSO SIM são pessoas doentes. VOCÊ é uma das pessoas mais saudáveis que eu já conheci, e por acaso, possui um tumor.”


Agora gostaríamos que todos nos acompanhassem na oração de Nossa Senhora de Natividade, a qual ela era devota...

5 comments:

Paula said...

Oi Dani!!
AMEI, simplesmente AMEI os comentários sobre seu encontro com as meminas!! Poxa, queria muito conecê-las, concordo que é bem difícil conhecer mulheres de nossa idade que entendam de maquiagem, musica, atualidades e hospital, quimio, ficar careca, etc, etc, e o melhor sem transformar nossas histórias em momentos de drama e lágrimas, claro que rolam ou rolaram lágrimas, mas hoje estamos aqui para contar e divertir (porque não?) as pessoas, sinto que as vzes até choco um pouco quem não me conece direito, porque falo sobre isso com muita naturalidade. Ah!! sobre a Amber é este o nome da moça que tem leucemia? Se vc tiver oportunidade de ve-la novamente, por favor, fale de mim, eu qdo descobri a minha leucemia, falaram para o Neto, meu namorado na época que eu tinha 05 dias de vida e hoje estou vivíssima!! Fiquei muito, mas muito feliz mesmo pela sua avó!! Já ví da onde vem seus poderes!!

Beijos querida!!

Paula (SP)

Jackie said...

Linda mensagem, Dani! Até chorei quando li, pq concordo plenamente com esse conceito de vida e saúde como um exercício diário de escolher o prazer e não o sofrimento, ainda que este último esteja mais ao alcance. Aliás, esse blog está cheio de pessoas admiráveis como a Dona inês e as meninas do encontro do seu último post.
Beijos

Dani said...

Paula,
Quando vier para estas bandas, me avise que te levo para o happy hour! Aliás já até falei do seu caso para elas -- 15 anos de saúde! Exemplo para todo mundo!

Jackie,
Que bom que você gostou... É tanta gente interessante que surge no meu caminho que às vezes nem dou conta de escrever sobre todas. Vou tentar melhorar.

Beijos e obrigada pela visita!

Cristina said...

Dani, lindo! Eu fui a única da patota que não pude ir a essa viagem (por conta de já estar comprometida com outros gastos) e nem sabia dessa agente. Que pessoal legal e espirituosa! Essa não partiu, estreiou no céu!!! Que a família dela tenha força para seguir sambando e aproveitando a vida como ela ensinou.

Herbert said...

Que bom que sua viagem foi de 10! A minha também!
Estive em apartamentos em Buenos Aires com minha família!