January 12, 2008

A Biópsia

Enfim chegaram os resultados da biópsia e, graças a Deus, desta vez não houve surpresas. Desde a cirurgia, os médicos achavam que o tumor seria um adenoma com focos de hepatocarcinoma fibrolamelar e o resultado não foi diferente.

Mas como tudo comigo tem que ser "único", houve certa discussão na conclusão do laudo final. Alguns peritos achavam que o tumor deveria ser classificado como adenoma (que é benigno) e outros afirmavam que deveria ser chamado de hepatocarcinoma (tumor maligno) já que havia presença, mesmo que mínima, de células cancerígenas. Este filme eu também já vi!

A boa notícia é que os focos eram poucos e localizados e meu tumor altamente diferenciado, o que para nós mortais quer dizer que o tumor era pouquíssimo agressivo. Melhor ainda é saber que os médicos trabalharam com uma boa margem, ao contrário da primeira cirurgia, e que a minha chance de cura é próxima de 100%.

A notícia que me deixou um pouco triste é que volto basicamente a estaca zero no que diz respeito aos exames de rotina: a cada três meses no primeiro ano, a cada seis no segundo e a cada ano para o resto da minha vida. É bem estressante passar por ressonãncias e tomografias com tanta frequência, mas um preço pequeno para quem quer viver uma vida longa e saudável. Fiquei chateada também ao saber que terei que esperar dois anos para engravidar. Logo eu, a pessoa mais imediatista e impaciente do mundo! Outra grande lição.

Aliás agora começo a perceber algumas coisas com mais clareza. Sempre quis ter uma família, mas filhos nunca foram a maior prioridade. Se encontrasse um pai maravilhoso e uma boa estrutura de família, obviamente gostaria de tê-los, mas se minha vida me levasse por outros caminhos, não me sentiria tão frustrada. Várias amigas minhas afirmam que terão filhos independente de pai. Até acho a idéia bonita, mas nunca foi a minha bandeira. Queria minha carreira, uma relação estável, conforto antes de pensar em ter filhos. Depois de me mudar para Maryland, esta ordem mudou um pouco, até por falta de opção.

Moramos numa cidade minúscula onde todo mundo tem filho e nos EUA, ao contrário do Brasil, quando se tem filhos, vive-se num universo completamente diferente -- só se fala, se pensa, se vive e se respira filho! Quem não tem, não pode entrar e está alijado para sempre. Não sei se foi por isso, mas no final do ano passado começamos a pensar mais seriamente no assunto. Ter carreira de sucesso e emprego jet-setter morando longe de um grande centro urbano é praticamente impossível e como o Blake não tem a mínima vontade de morar numa cidade grande, pensei ter encontrado a solução perfeita: tenho meus filhos agora, brinco de casinha nos lindos subúrbios americanos, encho a minha SUV de cacarecos e viro a mãe perfeita por uns tempos.

Quando tudo parecia caminhar nesta direção, mais um grande tropeço. Durante o fatídico untrassom, na minha barriga ao invés de um bebê saudável, uma massa doente de 7 cm. Não que eu achasse que estava grávida, mas este exame que traz tanta alegria a tantas mulheres no mundo todo, para mim vem carregado de sofrimento e dor.

Sorte a minha ter fé. Desde pequena, dois dos meus ditados favoritos são "Deus escreve certo por linhas tortas" e "Everything happens for a reason". Então vou acreditando que no meu caso há algo mais urgente do que a maternidade. Talvez eu precise mesmo me encontrar antes de tentar gerar alguém. Talvez eu tenha filhos daqui a dois anos. Talvez não. Talvez possa adotar antes disto. Talvez não. Talvez não tenha nascido para ser mãe. Talvez sim.

Neste momento, mais uma vez, tenho muito mais dúvidas do que certezas, mas este e o verdadeiro propósito da vida, ir aprendendo aos poucos, errar, acertar, chorar, rir, esperar, arriscar, mas sempre seguir em frente. Acho que esta lição aos poucos vou aprendendo, mas a lição que me parece a mais difícil de todas é a tal da paciência, virtude a qual não possuo e, pior, sempre me orgulhei de não possuir, mas isso já é assunto para outro post.

6 comments:

Anonymous said...

Oi Dani, menina... mesmo nao te conhecendo e lendo sua historia... fiquei super preocupada contigo no dia da sua cirurgia.. eu estava no trabalho mas minha mente estava na sua cirurgia e fiquei muito feliz feliz em saber que tudo ocorreu bem.

Engracado isso, mas mesmo nao conhecendo as pessoas, a gente se preocupa, ora, manda pensamento positivos...

Vou continuar aqui torcendo por vc
Catita

Luciane said...

Oi, Dani! Gracas a Deus que o prognóstico é bom. Fiquei feliz por e agradecida a Deus. Um abracão pra ti e bom fim de semana.

Ana Pazza said...

Dani, vc e' um guerreira. Fe' em Deus e tudo dara certo, alias, ja deu ne'. Estou enviando super energias para vc aqui de England. Beijao, take care!

Silvana said...

Dani,
Deus te abençoe e te proteja.
bjs
Silvana

Claudia said...

Dani, que noticia boa...
E sabe que paciencia nunca foi meu forte tambem, mas quem sabe essa nao seja a oportunidade que vc estava precisando pra trabalhar isso... eu estou melhor que antes, por outros tipos de provacao que claro, nao se comparam a seu caso.. mas acho que o importante eh isso... tirar de tudo, um aprendizado. E esses dois anos vao passar rapido, vc vai ver... vc vai focar em ficar saudavel, fazer seus exames e contar pro mundo esta sua historia linda de coragem e fe, muitas provacoes e luta. Estou aqui lendo tudinho... e me emocionei demais com seu post da hora mais dificil... vc tem um talento unico pra contar, envolver... e quem sabe essa nao eh a hora pra vc colocar seus planos em acao? Eu estarei aqui orando por vc... torcendo pra vc voltar a sua vidinha no suburbio de maryland, bem pertinho de mim.. :) Um beijo grande e aproveita bastante o carinho da familia por ai.

Silvana said...

OI Dani,
Me emociono muito quando leio seus posts e adimiro muito a sua força e fé e maneira de encarar esses problemas te confesso que não esta força, pois minha família passou por problemas de saúde há um tempo atrás e confesso que até hoje fiquei fragilizada por tudo o que passamos.
Acabei de chegar da Igreja rezei muito e enviei vibrações pelo seu restabelecimento.
Recebi uma mensagem do Espiríto Santo para te enviar alguns livros que te ajudem na sua recuperação. Se você estiver de acordo por favor me mande seu endereço para o e-mail silvanar.costa@hotmail.com.br, que te enviarei, moro em Brasília e sou da Igreja Internacional da Graça encontrei o seu blog através do blog da Claúdia Beatriz .
Se você puder assista ao programa do missionário RR Soares às 21 h na rede bandeirantes . "Verdadeiramente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós reputamos por aflito, ferido de Deus oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados."Isaías 53, 4-5.
um abraço
Silvana Costa