January 15, 2008

Há Controvérsias...

Chego agora da minha primeira consulta pós-cirurgia. Gostaria de ter notícias animadoras ou pelo menos ter notícias, mas volto com as mesmas incertezas que tinha quando saí de casa mais cedo, aliás com as mesmas incertezas que tem me acompanhado nas últimas semanas. As mesmas incertezas de sempre.

Este médico, que é o clínico, afirma que o tumor retirado era novo. E vai mais além, o tumor inteiro era hepatocarcinoma, que não tem nada a ver com o tal do adenoma. Ele não sabe o que causa o tal tumor, talvez um alteração de DNA, mas que caso ele apareça de novo, temos que pensar em transplante, o que é ótimo, pois pelo menos é mais uma chance que tenho de ficar viva. Então tá. Vá dormir com um barulho destes!

E não pára por aí. Segundo ele, não há absolutamente NADA que possa ser feito para evitar que o tumor volte. Não há restrições alimentares, mudanças radicais no meu estilo de vida, medicamentos profiláxicos...NADA que possa me garantir absolutamente NADA! As estatísticas estão do meu lado de novo, como sempre estiveram, mas como todos sabemos, as estatísticas falham e muito.

Mais uma vez estou convencida que não há certezas nesta vida e em se falando de saúde ou doença isso tudo fica mais óbvio. De tudo que vi e ouvi nos últimos cinco anos, tiro as minhas próprias conclusões. Por mais que estudem e se esforcem para entender o corpo humano e determinadas doenças mais complicadas, os médicos sabem quase nada -- o que fica muito claro no meu caso, quando cada médico, às vezes da mesma equipe, tenta me explicar o meu tumor ou o que acontece no meu fígado.

Durante os últimos cinco anos acompanho tudo de perto, através de exames de imagem e de sangue e aposto que se alguém olhar meus resultados vai dizer que sou mais saudável que 99% da população viva: colesterol baixíssimo (que causa uma inveja danada no Blake), hematócrito, triglicerídeos, todas as enzimas hepáticas...tudo perfeito! E no entanto carregava mais uma vez uma bomba no meu fígado. Quem explica uma coisa dessas? Eu que não fumo, não bebo, tenho uma vida supersaudável, mantenho meu peso e nem remédio tomo! Mas estas coisas acontecem.

Confesso que chorei durante a consulta, afinal quem não choraria diante de uma sentença tão dura, onde não há certeza ou garantia algumas? Mas já enxuguei minhas lágrimas e estou disposta a colocar isto tudo para trás mais uma vez. Ainda esta semana vejo outro médico, o cirurgião, e certamente vou postar aqui a nossa conversa. Ele diz que o tumor é velho e que removeu tudo e mais um pouco, logo já estou curada. Acho que prefiro ficar com a opinião dele!

O fato é que já tenho ciência do meu problema e acredito tê-lo resolvido, então agora devo me preocupar em viver. A coisa boa para gente que vive em estado permanente de prontidão como eu é que a gente sabe melhor da importância e da urgência da felicidade. Eu não posso esperar para ser feliz, pois mais do que a maioria das pessoas, sei que meu tempo aqui é finito. Sei que ninguém é eterno e que tem muita gente saudável que vai acabar indo na minha frente mas, por enquanto, eles não têm que se preocupar com isso. Sei que Deus é maior do que tudo e pode me fazer ficar aqui até os meus 90 anos, então talvez este seja o verdadeiro presente: aprender a viver cada momento como se ele fosse único e não esperar o dia de amanhã para ser feliz. O meu futuro é hoje e a minha vida é agora.

4 comments:

Cris said...

Ia te ligar agora após 1 torpedo e um e-mail não respondidos, mas ler seu blog já me fez ver que vc já disse o que tinha a dizer! Eu realmente não entendo a medicina - meu caso é infinitamente insignificante - mas ontem fui a um otorrino que não soube me dizer o que eu tenho! Acho que é sinusite, vou a conclusão que tirei...Mas também não entendo o corpo humano, também não entendo estatísticas... Fique com Deus Dani!

Claudia said...

Ai Dani, é duro ter que conviver com essas incertezas né? Mas ó.. adorei seu último paragrafo! Atitude é tudo e vc está ai pra mostrar que pode mudar as estatisticas quando elas nao estao favoraveis e tirar o melhor delas, quandoe stao.
Beijinhos e seja feliz... :)

Eulália(Lalinha) said...

Dani,
imagino como deva estar sua cabecinha, nada que a getne venha a dizer vai mudar o que vc pensa, claro que tudo tem que partir de vc, a gente dá uma força, mas seja firme, forte e não desista dos seus sonhos...quem sabe até uma adoção!!
bjo

Dani said...

Dani, segura na mão de Deus e vai. Confiança, fé e acima de tudo muita esperança. Estamos nessa torcida, sempre! Bjim,
Dani e Marcos