January 16, 2008

Direito à Privacidade

Nestes últimos dias tenho acompanhado de perto a situação do pivô brasileiro Nenê Hilário, que joga pelo Denver Nuggets. No começo da semana os boatos se espalhavam por conta da "doença misteriosa" do atleta. Vi até debates em sites de jornal sobre o direito de Nenê de manter sua doença em segredo. Confesso que me revoltei. Como assim uma pessoa não tem direito a um mínimo de privacidade numa hora dessas? Onde fica a dignidade deste povo que diz que pessoa pública não tem direito a isso. Não estamos falando de um atleta que foi flagrado de porre ao sair de uma boate, estamos falando de alguém que levava sua vida normalmente, honrando seus compromissos e obrigações mas que de repente vê o chão abrir sobre seus pés. Eu sei exatamente o que ele deve ter sentido, pois infelizmente já estive neste lugar horrível.

Que o ser humano às vezes tem uma curiosidade mórbida é sabido, mas esta obsessão precisa ter um limite. O que pouca gente sabe é que entre a descoberta da doença e o diagnóstico há um período tenebroso que se estende por alguns dias, quando não se tem idéia do que o futuro guarda para o paciente, ou pior não se sabe nem se há futuro.

As pessoas acham que a doença vem sempre envolta em segredo, que a família quer esconder o diagnóstico para poupar o paciente ou por algum outro motivo. Pouco importa. A verdade é que às vezes até o laudo final é difícil, pois os médicos não conseguem entrar em consenso, discordam sobre a natureza do tumor, sobre as imagens nos exames, sobre os prognósticos. Isto determina também o curso do tratamento. Imagina o que é ter sua doença divulgada pela mídia e todos os médicos do Brasil ( e por que não do mundo?) além de todos os que se acham médicos dando opiniões diferentes? Qualquer ser humano enlouqueceria.

Não sou uma pessoa pública e, especialmente nestas horas, agradeço a Deus, mas nem por isso escapei incólume da ignorância de muitos profetas do Apocalipse e até médicos, que na verdade eram verdadeiros monstros, que não se intimidaram nem um pouco ao declarar a minha morte iminente. Estaria mentindo se dissesse que tais impropérios não me abalaram, uns mais outros menos, e me pergunto como monstros como estes podem dormir ao encostar a cabeça no travesseiro a cada noite. Fico então só imaginando o coitado do Nenê, do alto dos seus 25 anos e em pleno ápice profissional, tentando proteger a si mesmo e a sua família. É coisa demais para alguém tão jovem assim.

Aprendi que a melhor coisa a se fazer com o medo é enfrentá-lo de frente e é por isso que não gosto de meias palavras e meias verdades. Encaro a minha situação e prefiro deixar tudo às claras, pois desta forma me fortaleço e torno-me menos vulnerável a este tipo de gente mesquinha. Tenho tido muita sorte, pois ultimamente este tipos abomináveis, estes vampiros de energia, têm se mantido bem longe de mim.

Desta vez fui ainda mais esperta. Já calejada desde a outra cirurgia, quando a comunicação foi um pouco difícil, mande um email para vários amigos dando detalhes sobre a minha situação. Escolhi o grupo a dedo, pois só queria energias e fluidos bons. Foi um sucesso. Eles só repassaram para quem realmente gostava de mim e todos formamos uma corrente de força e saúde. E aqui estou eu, surpreendendo os médicos e a mim mesma a cada dia, graças a esta corrente do bem. Espero que ela se estenda ainda mais e abrace o André Miragaya, os meus amigos do hospital Sr, Levi e Marcos e agora o Nenê Hilário.

4 comments:

Eulália said...

Dani, acho que de tudo essa deve ser a pior parte de ser famoso, pq muitas pessoas não respeitam e não sabem o limite.
Acredio que vc deva saber a dor, as dúvidas e tudo que deve estar se passando na cabeça dele, e de outros com situação semelhante, não é? e só quem já passou é que sabe!
AChei super legal essa sua condiçãod e enviar email apenas a lista" adedo"pq energias positivas seriam emanadas!!
Gosto de vc,d e graça.
Que Deus te abençoe e aoas demais que passam por tal situação.
Agradeço a vc, pq vc me ajudou a colcoar mais um grupo de pessoas
que precisam nas minhas orações.
bjo.

paulaalves00 said...

Dani, por esses caminhos na net e por ter me tornado fã de casamentos depois do meu, acabei esbarrando em vc na comunidade do orkut (casar é fácil). Logo vi que lhe conhecia. Talvez vc não vá se lembrar de mim, namorei o Filipe por alguns anos e estive em sua casa algumas vezes. Lembro-me de o Filipe ter comentado a respeito de sua saúde nos nossos últimos meses juntos, mas sem maiores detalhes.

Bem, lembrando de mim ou não, o fato é que acabei tendo notícias suas lendo seu blog e, devo confessar, fui às lágrimas algumas vezes. Não de tristeza, mas de emoção. Emoção por vc ser amada, por estar viva e lutando!!!! Sei que sua família é maravilhosa... Sei que o mais importante vc tem: amor. Amor pra recomeçar, como diz Frejat. Aceite minhas vibrações positivas, uma luz azul brilhante que vai iluminar seu caminho e que estou enviando direto do meu coração tocado por sua estória.
Paula

Dani said...

Lalinha,
Adoro seus comentários! E obviamente suas orações, sempre poderosas, prova disto é que estou aqui. Foi você que me deixou um outro blog para eu ler? Estou supercuriosa mais não consigo achar mais o post.


Paula,
Claro que me lembro bem de você! Procurei você na Casar é Fácil, mas não vi nenhuma Paula Alves. Você deve ter mudado o nome, né? Fiquei muito emocionada com seu post e com seu carinho.
Espero que você esteja curtindo muito a vida de casada.

Beijos às duas e fiquem com Deus,

Dani

Eulália said...

Dani, não fui eu não....infelizmente não tenho o dom da escrita, como vc, Clau, Jady, Bel...e por isso não tenho blog!!!
Mas saiba que vc me serve como exemplo de força, perseverança, vontade de viver..e tenha certeza que é por isso que vc está aqui conosco, pq é do BEM!!!
Que Deus te abençoe.
bjos