January 25, 2008

Reflexões

"Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez".

Hoje redescobri esta frase do cineasta francês Jean Cocteau lendo uma revista. Fiquei pensando nela a tarde toda e analisando seu significado.

Quantas vezes desistimos de algo que julgamos tão importante sem sequer tentar só porque alguém nos disse que seria muito difícil?

Esta frase de Cocteau me levou de volta ao consultório do médico que me disse que meu "fígado fazia estes tumores mesmo e que se fizesse outro, a gente operava. E se não desse para operar, a gente transplantava". Ele traçava ali o meu destino... Era como se as palavras dele fossem uma profecia que se auto-realiza. Só existe um porém: não é isso que eu quero para mim. Não quero outra cirurgia. Não quero transplante. Não quero mais sofrer. E decidi ali mesmo que dali pra frente haveria muita coisa que eu ia ignorar solenemente. Sentença de morte ou de vida era só a primeira.

Vou ouvir o sábio Jean Cocteau. Vou fingir que ninguém tinha me dito que viver normalmente era impossível, então eu vou lá viver a minha vida. Do meu jeito.

Sempre acreditei que querer era poder e agora mais do que nunca posso provar que isto é verdade. Querer viver uma vida cheia de saúde e poder morrer aos 100 anos de morte morrida. É justo isso que quero pra mim, uma vida longa e cheia de histórias. Muitas histórias eu já tenho do alto dos meus trinta e poucos anos, então só quero muito mais tempo para coletar outras, mais divertidas, mais interessantes.

Uma vez ouvi dizer que a vida era uma tela em branco e que cabia a nós colori-la. A minha vida está mais para uma pintura abstrata do que outra coisa, mas ainda quero adicionar muitas cores, muitas formas muitos contornos. É ao mesmo tempo excitante e assustador ter uma tela em branco a sua frente...ou no caso de um escritor, ter páginas e páginas vazias esperando um lampejo de inspiração.

E é exatamente aí que me encontro, com um pincel ou um lápis na mão, com algumas boas histórias na cabeça e a espera de um pequeno estímulo. Terá sido este tumor o catalisador que tanto esperava? Parece que da primeira vez, depois do choque inicial, consegui voltar a viver a minha vida de sempre (com algumas boas mudanças mas nada muito radical). Então este segundo susto deve ter vindo para me colocar no caminho certo... Mas a pergunta que fica é que caminho é este?

2 comments:

Malu said...

Dani, vc escreve de maneira sublime ! nossa... é isso mesmo ! Ignore solenemente essas sentenças e apenas viva ! Quem é ele pra saber do futuro ? Nossa.. ninguem sabe o dia de amanha, todos estamos sujeitos as mesmas intempéries... ( tem um versiculo na biblia que diz que a chuva vem pro rico e pro pobre) então não sofra ! Viva um dia de cada vez !
Um beijo no seu coração !

Fernanda França said...

Um caminho que com o tempo vc vai encontrar, querida, com a ajuda de Deus. Fique bem! Beijos.