January 9, 2008

Um Salto no Abismo

Uma imagem sempre me acompanhava cada vez que a cirurgia me vinha à cabeça. Aliás, desde pequena, quando enfrento uma situação difícil, uma imagem muito específica e ilustrativa do momento não consegue sair da minha memória.
No caso mais recente, da última cirurgia hepática, me via saltando de cabeça em direção a um abismo. Nada à minha frente a não ser escuridão. E eu que sempre tive medo do escuro! Mas sempre soube que não havia outra opção, então assim que me deitei naquela maca em direção ao centro cirúrgico, respirei fundo e não olhei mais para trás. Era como se num ato desesperado, tivesse chegado bem na pontinha do penhasco, então me lembrei de todos os que torciam por mim, do quanto era amada e dos planos que Deus tinha para mim. Fechei os olhos, repirei bem fundo e mergulhei no escuro. Dei um grande salto de ponta, um salto de fé!
E esta foi uma das experiências mais libertadoras que já tive na vida. Não havia nada a fazer, mas inexplicavelmente uma tranqüilidade e uma segurança enormes tomaram conta de mim. As horas que antecederam a cirurgia mais pareciam uma festa: amigos e familiares apareciam no quarto cheios de amor e solidariedade, conversávamos sobre tudo e fazíamos planos para a minha volta.
Sentia-me como se tivesse me preparando para uma luta de boxe, sabia que hematomas e feridas eram inevitáveis, mas eu estava mais do que pronta para olhar bem na cara do meu inimigo e nocauteá-lo para sempre. Sabia que a luta ia ser dura, mas eu estava mais que preparada e a torcida iria me empurrar até o fim. O meu quarto de hospital mais parecia um cassino em Las Vegas e o meu avental cirúrgico era o meu robe de cetim, só cairia depois do gongo soar. E com o ânimo totalmente renovado segui em frente.
E quando acordei já estava no CTI, sem muita dor. Inacreditável. Como diria Cazuza, eu vi a cara da morte e ela estava viva! E para minha sorte, mais uma vez ela me esnobou! O inimigo jogou duro de novo, mas no final das contas eu estava lá e ele não! Que sensação boa!
Sempre digo que não desejo que meu pior inimigo passe por nada parecido, mas que tudo na vida tem seu lado bom e o que sinto agora é simplesmente indescritível.
Chegar ao fundo do posso é uma experiência altamente libertadora. Não há mais nada a perder. Não há orgulho, mesquinharia, implicância, soberba...nada! É da vulnerabilidade que nasce a força. É quando não temos mais a quem pedir que encontramos a nossa fé. É quando nos vemos mais desnudos e frágeis que nos permitimos ser amados e demonstrar o quanto a vida é importante. Por que esperar tanto? Por que só colocar nossas prioridades em ordem quando postos em cheque? Não vale a pena.
Lembro que foi isso mesmo que ficou da primeira cirurgia: a vida não vale nada sem saúde e sem amor. Tantas vezes damos importância a coisas tão ridículas e tão pequnas. Lembro também que às vezes tinha que brigar comigo mesma para que tudo não caísse no esquecimento, mas agora tenho certeza que este aprendizado jamais será esquecido. Depois da primeira cirurgia, passei a ver o copo meio cheio com mais facilidade. Depois da segunda, simplesmente me recuso a enxergar o copo meio vazio.

9 comments:

Nanda said...

Dani, fiquei muito feliz em saber que você teve alta e esta bem, vou continuar orando para que vc se recupere logo, juntamente com seus colegas que estão na mesma situação! Adorei o que vc escreveu, nos faz refletir sobre nossa própria vida, vc é um exemplo de coragem e fé! parabéns! beijos e fica com Deus!

Eulália(Lalinha) said...

Dani,
SUPPPPPPPPPPPPPPPEEEEEEEEEEEERRRRRRRRRR FELIZ POR VC ESTAR DE VOLTA!!!
Menina, vc não imagina como pensei em vc até o dia de ontem, sem ter nenhuma noticia no blog, aiaia, estava começando a ficar preocupada, mas GRAÇAS A DEUS, mesmo, vc está ai pra contar a história.
Continuarei minhas orações as demais pessoas que vc comentou no blog, e sinceramente fico muito feliz em ver que vc realmetne é uma guerreira!!
Que Deus abençoe vc e toda a sua família.

Carol Estrella said...

Dani, sua força é impressionante e contagiante, mesmo via net! Estou muito feliz em saber que você está bem e que superou mais um obstáculo que a vida lhe colocou.

Fique bem, fique forte e conte com a minha torcida e orações.

Beijo enorme.

Depois dos 25, mas antes do 40! said...

Estou acompanhando seus posts e imagino como deve ter sido difícil passar por tudo isso. Tenho endometriose que é uma doença que se prolifera por dentro do seu corpo, mas~os nódulos são benignos, mas... tem que ir tirando. Ela grudou no meu intestino e é capaz de ter que tirar um pedaço e por ai vai... Vi vc dizendo q não deseja isso p seu pior inimigo e é verdade. Essas doenças que estão fora do nosso controle~, nos debilitam muito pq temos q ficar atentas a todo segundo. Mas tenho certeza q daqui p frente vc, com certeza, só escreverá coisas boas aqui e palavras de muito apoio por quem ainda passa pelo q vc passou. Beijocas mil e ótima recuperação p vc!!!!

Claudia said...

Dani, esse post está emocionante... essas palavras servem pra muitas situações.. principalmente a parte que começa com "Chegar ao fundo do posso é uma experiência altamente libertadora...".
Continuo na torcida pra uma breve recuperação... daqui a pouco vc estará de volta aqui!!!! Tenho certeza!~beijos mil!

Tati said...

Oi Dani...
Fiquei sabendo da sua história no blog da Clau (que já leio faz anos), entrei aqui e fiquei emocionada com a sua força, e fico mto feliz que vc já esteja de alta!
Agora, é se recuperar cada vez, mais e mais! Estou torcendo por vc e rezando pra que tudo fiquei aind amelhor!!!

bjocas

Anonymous said...

Olá!
Vc não me conhece, mas fiquei aqui na torcida!
Ótimo saber que estás bem.
Tudo de bom pra ti.
De coração!

www.elaevc.wordpress.com

Anonymous said...

Oi Dani,
Fiquei sabendo de vc pela Dani Espejo. Nós aqui da EDS fizemos uma corrente de oração que nós tínhamos certeza de que daria certo.
Fiquei feliz quando a Dani falou que a sua recuperação está sendo ótima. A Fé move montanhas mesmo, né????
Vou continuar aqui na torcida e acompanhando as notícias pelo Blog.
Que Papai do Céu te ilumine sempre.
Um beijo enorme,
Flavinha

Luciane said...

Oi, Dani! Nem me lembro como vim parar aqui no teu blog, mas seu que li teus textos pela primeira vez um dia antes da cirurgia. Tenho também muita fé e me emociono com as tuas palavras. Tenho rezado por ti e rezei também pelos profissionais que te atenderam, pra que Deus os iluminasse e te tratassem bem durante a internacão. Vou continuar rezando por ti, pelas pessoas que doaram sangue e pelas que estao a tua volta.
Um abracão pra ti e Deus te abencoe.