August 9, 2008

De volta


Estou de volta finalmente e cheia de novidades para contar. Na verdade não são tantas novidades assim, mas tenho muito, muito o que colocar para fora. Justo na semana das minhas merecidas férias com o Blake, recebo a notícia da prisão do meu médico e amigo Dr. Joaquim Ribeiro Filho, vítima de gente ardilosa e de mentes perigosas e mesquinhas que manipulam a opinião pública de forma irresponsável e impressionante.

Como o acesso à internet era quase inexistente no navio, fui tomada por uma enorme sensação de impotência. Não que eu achasse que as minhas palavras tivessem o poder de solucionar ou sequer ajudar de alguma forma a equipe médica que salvou a minha vida mais de uma vez, mas a idéia de ficar calada perante uma situação tão absurda quase me enlouqueceu. Me senti amordaçada, presa e completamente impotente.

Amanhã posto com mais calma. Quem conhece a minha história sabe o quanto eu devo ao Dr. Joaquim Ribeiro Filho, médico excepcional e das melhores pessoas que já cruzaram o meu caminho. Devo a minha a vida a ele, aos jovens médicos Eduardo Fernandes e Samanta Basto e ao Dr. João Ricardo, que estiveram sempre ao meu lado, nos piores e nos melhores momentos da minha vida. Estes mesmos médicos que o MP acusa de peculato. Nunca vi coisa mais louca!

Esta investigação de araque não é de hoje, conheço esta história desde o início e vou contar para vocês tudo que sei. A verdade precisa ser dita e os justos não podem calar. Neste imbroglio surreal os grande prjudicados não são os pacientes ricos que podem arcar com custos da cirurgia ou do transplante em qualquer lugar do Brasil ou do mundo, mas sim os menos favorecidos que contavam com o talento e bondade do Dr. Joaquim para sobreviver. Este mesmo médico acusado de "vender órgãos" (expressão igualmente absurda) atendia e operava muita gente de graça, mas isto não rende pauta para a mídia medíocre e sensacionalista.

Fico feliz de saber que o Dr. Joaquim foi colocado em liberdade, mas confesso que muito me preocupa o fato de ele estar impossibilitado de exercer sua profissão, de salvar vidas! Vidas como a minha e tantas outras que foram salvas pelas mãos firmes e pela competência de um dos melhores cirurgiões do mundo. Tive sorte de ter ficado doente no início do ano, muita sorte. Mas ainda assim fico indignada de pensar naqueles que não tiveram a mesma sorte que eu. Só no Brasil alguém é impedido de salvar vidas. Só no Brasil.

Mas como sei muito mais do que a maioria das pessoas que insistem em fazer comentários mentirosos nos sites dos grandes jornais, não posso ficar calada, pois conheço a verdade. Não posso permitir o linchamento moral da equipe que por duas vezes salvou a minha vida.

Fico triste de ver uma polícia política no Brasil. Também morro de medo e percebo que capítulos tristes da história humana teimam em se repetir. A situação atual é no mínimo perturbadora e por isto uma citação que vi há tempos no Museu do Holocausto me veio à cabeça:

"In Germany, they came first for the communists, and I didn't speak up because I wasn't a communist. Then they came for the Jews, and I didn't speak up because I wasn't a Jew. Then they came for the trade unionists but I didn't speak up because I was not a trade unionist. Then they came for the Catholics, and I didn't speak up because I was a Protestant. Then they came for me, and by that time nobody was left to speak up."

Martin Niemoeller, Dachau, 1944


Na minha tradução livre:

"Na Alemanha, eles vieram primeiro atrás dos comunistas, e eu não me manifestei porque eu não era comunista. Então eles vieram atrás dos judeus, e eu não me manifestei porque eu não era judeu. Depois eles vieram atrás dos sindicalistas, e eu não me manifestei porque eu não era sindicalista. Então eles vieram atrás dos católicos, e eu não me manifestei porque eu era protestante. Então vieram atrás de mim, e a esta hora não havia mais ninguém para se manifestar."


Martin Niemoeller, Dachau (campo de concentração próximo a Munique), 1944

2 comments:

eu, tu, ele,...e,noís. said...

Daniela,
Hoje saiu no jornal O Globo um artigo esclarecendo pq. foi realizado o transplante do irmão, C.A. Arraes.....
Sem comentários....Situação patética !?!?

Beijos,
Isabel

Cristina said...

Dani, tá dando certo. Eu vi os mais de 70 depoimentos inclusive os do teu pai e da tua irmã no site. E hoje essa resposta do Arraes. Pode botar a boca no trombone! Espero que tenha aproveitado o navio.
bjs