March 18, 2009

Quando Ouvir Importa Mais Que Falar

Volta e meia alguns amigos me perguntam o que dizer quando recebem a notícia de que alguém querido está doente, possivelmente com câncer. Meu conselho é sempre o mesmo: cautela. A reação ou as palavras usadas dependem muito da situação, mas o que sempre ouço de qualquer pessoa que já tenha ficado gravemente doente é que o tempo todo ele ou ela só queria ser tratado normalmente. A maior parte daqueles que ficam doentes não espera pena ou piedade, mas uma palavra carinhosa no momento certo ajuda muito e às vezes mais do que uma palavra de carinho, um olhar, um gesto, já opera milagres.

Muito antes de ficar doente eu sempre ficava tensa ao ir ao velório de alguém querido ou do familiar de alguém querido. O que a gente diz numa hora destas??? Conta comigo? (Para que?) Se precisar de qualquer coisa, me avise? (Qualquer coisa tipo o que?) Então cheguei à conclusão que pelo menos para mim o melhor a dizer é um sincero "sinto muito" e depois de uns dias ver se o amigo realmente está bem. Um convite para jantar, uma saída já ajudam muito. Para muitos, basta um email ou um telefonema rápido para saber que alguém está pensando na gente.

A maior queixa dos pacientes de câncer -- e de qualquer um que fique fora do ar por motivo de doença -- é o isolamento. E quanto mais longo o tratamento, mais o paciente se sente isolado, esquecido pelos amigos e às vezes até pelos familiares. Graças a Deus e aos meus amigos e familiares, não senti isto. Nem por um segundo. Tive medo, tive momentos de solidão por conta da minha situação tão peculiar, mas nunca me senti esquecida. Muito pelo contrário, se houve algo de maravilhoso que experimentei nos períodos de cirurgia e recuperação foi justamente a acolhida dos amigos, reais e virtuais, novos e antigos, próximos e distantes, íntimos e nem tanto. Me senti abraçada por cada um deles e acho que foi justamente por isto que comecei a perceber mais o outro e a deixar de olhar para o meu umbigo. Foi ali que me dei conta de quanta sorte eu tinha, pois apesar de tudo tinha o privilégio de me concentrar só na doença e na consequente recuperação, pois sabia que as despesas médicas seriam pagas, que a minha família jamais me desampararia e que meus amigos nunca se esqueceriam de mim.

Então aos que me perguntam o que dizer ao saber de alguém que está doente, eu mais que nunca penso que um gesto pode valer mais do que mil palavras. Meu conselho é que escutem, que ofereçam um ombro amigo e que se escolher palavras num momento tão difícil for uma tarefa árdua demais, então esqueçam as palvras de vez. Concentrem-se em seus atos, mostrem ao seu amigo que passa por um momento complicado que estão ali para o que der e vier.

Me lembro que depois da minha primeira cirurgia, um grande amigo não conseguiu me ver no hospital. Ele ligava todo dia, mandava flores, mas no final da minha temporada na clínica, me ligou para fazer uma confissão "Dani," ele me disse, "me sinto um covarde mas não consigo te ver aí. Não consigo pegar o carro e te ver no hospital. Não quero nem te imaginar assim. Sou fraco, não posso, ainda. Mas assim que você for para casa, serei a sua primeira visita." E foi. Cumprindo a promessa, assim que voltei para casa, ele apareceu por lá e passava para me ver quase todos os dias.

Quando achamos que eu já estava boa, ele me chamou para um show. Eu nem quis saber de quem era o show, mas era à tarde e perto de casa e eu fui. E adorei! Adorei estar ali e me sentir viva de novo. Aquela tarde de verão e o sol forte que brilhava aquele dia faziam com que me sentisse viva, e acima de tudo, normal, novamente.

Meu amigo, que estava tentando se redimir, conseguiu. Não através de palavras ou clichés, mas através de um convite simples e sem nenhuma pretenção. Acabou me dando um grande presente sem ter que dizer uma palavra se quer. Só precisou me mostrar que lá fora a vida continuava e que a partir de agora eu voltava a fazer parte dela.

2 comments:

Cristina said...

Dani,
meu coração bateu sereno ao ler esse post. Totalmente diferente de qdo vc me ligou na 2a vez. Que nossos corações permaneçam sempre serenos!

Anônima said...

Muito bacana esse post