September 29, 2010

Decisões…

Nunca imaginei que fosse ter que tomar tantas decisões antes mesmo de ser mãe. A primeira, e provavelmente a mais importante de todas, foi decidir que realmente queríamos um filho. Queríamos tanto que decidimos ignorar os obstáculos e partir em busca de nossos objetivos. E os obstáculos não foram poucos nem pequenos: a espera, primeiro pela “permissão médica” depois pela gravidez propriamente dita. Dois anos que são como uma eternidade para quem deseja ser mãe e já passa dos 30 e poucos anos. Depois os exames, as buscas pelos motivos da nossa “infertilidade”, que ninguém nunca descobriu, já que os resultados todos foram ótimos. E enfim o tratamento, que mais parecia uma missão de CIA, com instruções em código que mudavam a cada dia e telefonemas diários, sempre às 4.30 da tarde. Mas valeu, e como!

Depois a busca de um obstetra que pudesse me guiar durante todo este processo tão novo quanto excitante. Agora a busca de uma creche que possa cuidar bem do nosso maior tesouro. Já revirei quase 10 e ainda não consegui me decidir, mas acho que estamos próximos... Presto atenção a todos os detalhes e aos poucos vou me tornando “expert”, tudo para compensar a falta de experiência.

Agora a decisão que nunca havia passado pela minha cabeça e que jamais precisaria ser tomada se tivessemos uma menina: a circuncisão. Também provavelmente não seria abordada se o Joaquim nascesse na Europa ou no Brasil. Tradicionalmente, a maioria dos meninos americanos passa pelo procedimento antes mesmo de deixar a maternidade, mas atualmente este número vem caindo bastante e a questão virou uma polêmica enorme com xiitas dos dois lados. Os grandes jornais americanos volta e meia publicam grandes matérias sobre o assunto e os comentários dos leitores são dos mais inflamados possíveis. Há evidências e estudos que defendem os dois lados, mas a situação chegou a um nível tão louco que nenhum médico aqui ousa aconselhar seus pacientes a fazer ou não o procedimento.

Sempre achei que o Blake fosse ser favorável, sendo ele americano e bem mainstream, mas fiquei mais que surpresa,quando ele disse que estava se informando melhor sobre o assunto e não tinha chegado ainda a uma conclusão. “É um procedimento invasivo. Não é porque ele não vai lembrar que ele não vai sofrer,” o futuro pai me disse. “Detesto pensar que vamos mexer em algo completamente normal e sadio por uma questão cultural ou de gosto pessoal. Acho ridículo esta história de que vão implicar com ele no vestiário. Até lá muita coisa vai mudar ,” ele concluiu. É verdade. Uma amiga minha disse que eu deveria fazer a circuncisão porque quando ele crescer as meninas vão olhar e ficar com nojo dele. Juro que não é mentira! Quase caí para trás. E se fosse assim, os europeus e latino-americanos iam morrer em celibato. A gente sabe que não é bem assim...

Muitos dizem que a circuncisão tem mais a ver com fatores religiosos ou culturais, e sendo assim, no nosso caso, fica difícil mesmo impor este procedimento a um recém-nascido. Ainda vamos fazer mais pesquisas e falar com mais médicos, mas nunca pensei que antes mesmo do bebê nascer já tivesse que tomar uma decisão tão séria por ele...

10 comments:

camila said...

Dani, ainda nem sei se meu baby e menino ou menina, mas ja estou pesquisando, e sofrendo por antecipacao. Antes de pesquisar nao estava dando muita importancia ao assunto, e nas nossas conversas eu e meu marido tambem falavamos "ah, ja que estamos aqui e a maioria dos meninos daqui sao circuncisados, vamos fazer". Mas nao e bem assim nao e? Necessario nao e. Se voce fizer a higiene do seu filho corretamente, e ensina-lo como fazer uma higiene correta, a desculpa de ser mais saudavel vai por agua abaixo. Meu pai e urologista e e super contra. Mas, uma das coisas que ele sempre fala e que as maes geralmente nao sao instruidas a fazer uma higiene correta da crianca (puxar a pelinha pra limpar). Ontem mesmo estava pesquisando e achei esse site http://www.glorialemay.com/blog/?cat=3 que esta em um dos extremos, mas acho que faz a gente pensar. A circunsicao e pra quem? Muito dificil. Geralmente nos nao igualamos isso a mutilacao feminina, mas e, nao e mesmo?

Danielle said...

Olha Dani, estou no mesmo barco... Estou esperando um menino e penso em fazer a circuncisao sim... Nao eh por religiao nao... Saude mesmo. Mas fico com peninha do meu Lucas passar por isso tao novinho... Eh uma cirurgia, ne? Ainda estou me informando e assim que obter mais informacoes sobre o procedimento eu compartilho com vc. Beijinhos, Dani

No Estrangeiro said...

nossa, eu sou a maior ignorante no assunto! Afinal, quais sao as razoes medicas para se fazer a circuncisao?
Tata

Luciana Misura said...

Antes da gente saber que ia ter uma menina o Gabe tambem estava lendo sobre o assunto e falou que achava melhor nao fazer. As coisas estao mesmo mudando e cada vez mais gente esta optando por nao fazer. Tem gente que pensa como essa pessoa que te disse isso, claro, mas realmente muita coisa vai mudar ate la...

A Suburbana said...

Dani,

Olha, eu posso te dizer que nós optamos por fazer no nosso filho e que eu me certifiquei que foram usados anestésicos locais e a cicatrizacao foi muito fácil e rapida. Eu mesma cuidei de tudo (tem que passar vaselina no local por alguns dias) e o Lucas nunca chorou nem reclamou. Por sinal, tiraram ele do quarto p/ fazer a circuncisao dormindo e ele voltou logo depois ainda dormindo.

Eu acho que vc tem q se certificar a cerca do anestesico local (se vcs decidirem fazer) e se decidirem nao fazer, eu acho super normal também. Concordo que é uma questao cultural, argumento tem dos dois lados.

Beijos e parabens pelo baby!

Luciana Svilpa said...

Dani, é o meu primeiro comentário aqui, mas a melhor sugestão que eu posso te dar é conversar sobre isso com os pediatras que voce estiver entrevistando. MUITOS não são tão versados em como cuidar do penis intacto - coisas como retrair o prepucio pra limpar, etc, nao sao aconselhados (na verdade, é muito simples, limpa-se como um dedo) e isso gera uma serie de problemas, infeccoes, mini-cicatrizes, etc. Então se isso for importante pra voce, nao importando a sua decisao, escolha o medico de acordo.
Se vc mora numa area liberal, vai achar pediatras mais atualizados :)
Aqui no estado de WA a média de circuncision é 23% e tenho certeza que a media de Seattle (super liberal) é BEM mais baixa (a outra metade do estado é bem mais conservador).
Mas sim, as medias nos EUA inteiro estao caindo bastante, vai ser um outro cenario daqui a 10, 20 anos. Inclusive existe uma diferenca enorme de quando meu primeiro filho nasceu há 8 anos atrás e hoje em dia.
Como vc mencionou a mulherada optando por parto sem anestesia, vai bem por ai mesmo, todo mundo ficando mais "crunchy".
Boa sorte com a sua decisão!

Anonymous said...

Dani, trabalho em uma UTI neo e os bebes nao estao mais sendo circunsisados pq nao eh mais indicado pela associacao de pediatria, eh uma questao mais estetica. Mas tendo trabalhado como baba por tanto tempo, cuidei de meninos circunsisados e nao e eh bem mais facil limpar o penis e a estetica eh melhor tambem, outra coisa eh que muitos adolescentes nao circunsisados acabam tendo que fazer a operacao de fimose. Tudo tem seus pros e contras, mas se eu tiver um menino algum dia vou optar por circumsisar sim! Boa sorte na sua decisao ;)

Anonymous said...

Nao acho necessario isso... Enfim , decidam o melhor.
Bjo,
MOM

Lola said...

Oi Dani,

não vou falar sobre circuncisão, mas como mãe de menino. Não fizemos no Daniel (ele nasceu no Br), mas sempre dizemos para ele não esquecer de limpar a pontinha do caú (ele chama de caú, não sei pq)". Desde pequenino ele sabe que tem que limpar e já faz isso automaticamente. O prepúcio já se soltou por completo, sem sem inflamações, infecções, nadinha, já que é ele quem controla a força que usa pra se limpar. O lance é realmente ficar em cima e tornar a limpeza um hábito e tudo vai muito bem!

bjs, Loraine (@lcampanati)

Dani said...

Pessoal,
Adorei os comentários aqui... Muita informação legal, muita coisa pra pensar a respeito. Quando tomarmos uma decisão, posto aqui!
Beijos e obrigadíssima!