December 12, 2008

Adeus Thalita



Estou muito triste para escrever. Qualquer coisa que eu disser agora vai ser pouco diante da minha dor, da minha sensação de impotência, e da tristeza profunda que sinto neste momento.

Esta doença maldita ceifa mais uma vida cheia de promessas e castiga mais uma família. A Thalita tinha 28 anos, fazia mestrado na UniRio e hoje encerrou a sua jornada por aqui. Motivo: um velho conhecido meu - hepatocarcinoma fibrolamelar.

Ela também sempre foi 100% saudável, não tinha histórico familiar e só estava preocupada em viver a vida, terminar o mestrado, viajar o mundo e os realizar sonhos que todos os jovens acalentam. Mas infelizmente não teve tempo para isso.

Não adianta tentar fazer sentido, tentar entender como uma pessoa tão jovem, brilhante, carismática e cheia de vida pode partir assim de repente deixando um buraco enorme no coração de tanta gente. Muito difícil aceitar, mesmo para quem acredita em Deus, como eu.

A Thalita era muito especial e tinha uma espiritualidade muito desenvolvida; tinha um discernimento que poucos têm. A fé dela era enorme e tenho certeza que agora ela está em paz e já não sofre mais.

Thalita, eu queria tanto que esta história tivesse um fim diferente, querida. Queria tanto que você pudesse ter ficado aqui para me fazer companhia. Quanto egoísmo meu! A sua missão era outra.

A minha continua aqui, mas pode estar certa que vou levar um pedacinho de você no meu coração para sempre. Vou levar comigo sua serenidade, sua força e a sua fé. E vou me lembrar de você exatamente como na foto acima, linda, radiante e feliz, muito feliz.

Siga em paz, minha amiga, você deixa muita saudade.

4 comments:

clelia said...

Olá, sinto muito também. cada vez que vejo que este inimigo ainda é bastante perigoso e principalmente traiçoeiro me sinto também impotente. Abraços,clelia

Anonymous said...

Thalita com certeza está no céu, os designíos de Deus são insondáveis. Precisamos ter fé e coragem para enfrentar a vida com seus altos e baixos. Qualquer coisa que se diga agora, nesse momento de dor é no mínimo sem sentido.
Deus lhe abençoe,
Mamãe

Cristina said...

Dani, sabia que vc ia fazer esse post. Ao dizer seu nome para a mãe dela, ouvi "A dos Estados Unidos", com um sorriso no rosto. Muito serena (dei seu abraço também D. Angela!).

Como bem disse sua mãe, qq coisa que se diga não vale...mas acho que vc gostará de saber que a despedida dela no plano terrestre foi condizente com a beleza que foi a vida dela, a beleza desta foto...

Infelizmente já vi velório de gente jovem, mas NUNCA vi tanta gente como no da Thalita. A própria mãe dela apontou e disse "é só ver por aqui" quando eu falei da missão dela ter sido bem cumprida na terra. Havia mais de 2 padres lá. Minha irmã disse que um dos motivos dela ir lá foi escutar o sermão do Padre Nelson - eu e minha mãe não conseguimos ouvir - provocou muita reflexão e até sorrisos das pessoas. Ela pediu a melhor amiga que dissesse algo a cada pessoa (ela tb sabia de vc) e que no enterro cada um fizesse uma coisa. Vc que a conheceu, a cara dela né?

Quando eu e minha irmã indicamos o blog, a intenção era que vc inspirasse a luta dela e que tivesse companhia como vencedora dessa doença terrível e que não escolhe idade, e se esconde calada. A primeira foi atingida, a segunda, há de entender os desígnios de Deus mesmo. A dor, só o tempo...

Agradeço muito a Deus por vc ter vencido 2 vezes e por tudo que vc fez pela Thalita! Que bom que ela a conheceu.

Deus te abençoe!

Fernanda - www.fernandafranca.com said...

Puxa, Dani... :õ(