June 3, 2008

Thalita

Se tem uma coisa que o câncer nos ensina é a humildade. A doença derruba qualquer vestígio de arrogância que pode ter existido dentro de nós.

E nesta jornada solitária conhecemos das formas mais absurdas possíveis pessoas simplesmente impressionantes.

Depois de me ver no jornal e tentar digerir um pouco a minha história que às vezes me parece surreal, "conheci" a Thalita. O "conheci" está entre aspas porque ela está no Rio e eu em Maryland, mas ficamos horas no MSN batendo papo e contando as coincidências que nos unem. A começar pela natureza e pelo tamanho do problema -- tumor no fígado, de tamanho grande. Acabamos descobrindo também que temos amigas em comum e até o Padre Sergio entra na equação louca.

Para resumir a história, a Thalita disse que a prima de um amigo dela tinha passado "meu blog para ela depois da descoberta do tumor no fígado. Acontece que a prima do Leandro, amigo da Thalita, não é ninguém menos do que a Clarice, irmã da Cristina, que é minha amiga e estava aqui na minha casa em Maryland até semana passada. Este mundo não é mesmo um ovo?

Mas além das coincidências (ou como a Thalita e a minha mãe dizem, providências), o que mais me impressionou na Thalita foi a atitude dela. Ela tem um astral maravilhoso e está tranqüila e feliz por ter descoberto a doença a tempo e ter tido tanto apoio da família e dos amigos.

Dizer isso é fácil. Sentir isso são outros quinhentos. Mas o sentimento dela é genuino. Fica muito claro que ela não fala da boca pra fora, é fácil perceber que ela sente isso. Que apesar de todos os problemas e pedras no caminho dela, seu foco é o horizonte e é lá que ela vai chegar. Isso me impressiona demais.

Como disse à Thalita, fiquei muito triste quando soube do problema dela, pois sei da gravidade dele e rezo sempre para que ninguém tenha que enfrentá-lo, pois a batalha é dura. Mas depois de falar com ela, me senti mais tranqüila. A atitude e o otimismo dela são contagiantes. Ela é inteligente e sabe do que se trata, mas ao mesmo tempo é sábia e percebe que nestas horas a serenidade é nossa maior aliada.

Desejo tudo de bom para a Thalita e já incluí o nome dela às minhas orações daqui para frente. Sempre pedi a Deus que me mostrasse um outro sobrevivente de câncer hepático, acho que já deve ter chegado a hora.

O engraçado é que quando recebi o email da Thalita, queria logo entrar em contato com ela para "encorajá-la", mas depois de falar com ela, percebi que quem tinha saído daquela conversa encorajada tinha sido eu.

4 comments:

Anonymous said...

BEEEEEEEEEIJOS
MOM

ipmello said...

Dani,
O ser humano é realmente incrível. Não canso de me surpreender com as histórias que ouço ou com as coisas que leio.
Me surpreendo diante da adversidade, da pobreza, do vazio, do medo.
A vontade de seguir em frente e sorrir diante da vida uma vez mais rege os acordes de quem escolhe lutar.
Admiro quem escolhe lutar.
Admiro quem escolhe ajudar. Surpreendo-me sempre com a capacidade humana de cair em buracos, chegar ao fundo e de alguma forma sair de lá, quase, ileso.
Beijos,
Isabel

Cristina said...

Li o que vc escreveu sobre a Thalita para minha mãe em voz alta. Muito obrigada por vc existir!!! Nada é por acaso. O mundo é um ovo mesmo. Que Deus abençoe vcs duas por esta conexão tb!

E é claro morri de rir pq agora tô no seu blog tb em imagem - e é impressionante como até no Orkut tem gente querendo me conhecer rsrs

Adorei o que vc escreveu sobre a minha ida até aí no outro comment. Tô toda boba ;-) Só vc para me fazer chorar, rir e me sentir em meia hora!!!

MARIA said...

Dani, obrigada pelas palavras de apoio e de carinho, para um ser que ainda nem conheces rs...
Deus sabe muito bem onde cozinha o seu feijao, para que o mesmo de uma boa feijoada. Nao nos deu essa missao por acaso. E pode contar com minhas contribuicoes, sempre, para o blog e para ajudar aqueles a quem a ficha ainda esta caindo ou nao caiu. Coragem e fe so tem quem busca ser feliz com Deus. E eu sei que ELE me ama muito e vai estar 100% comigo hj. Beijos