April 11, 2008

Cansada de ter pena de mim

Nunca tive queda para fazer papel de vítima, mas tenho que confessar que ultimamente tem dias que acordo disposta a morrer de pena de mim mesma. Fico pensando que os últimos tempos têm sido muito difíceis para mim, que a minha cruz é mais pesada do que posso carregar, que o meu destino está marcado. Chego a pensar mesmo que a minha sorte e a minha felicidade foram bater ponto em outra vizinhança. Partiram sem data para voltar.

A verdade é que vi primeira cirurgia como minha passagem pelo purgatório. (Se não me engano o termo já caiu até em desuso pela Igreja Católica, mas esta é a idéia.) Depois de enfrentar o inferno na Terra, a felicidade absoluta seria minha por direito adquirido, afinal eu mereço isto e muito mais. Quem já teve câncer antes dos 30? Quem já teve recidiva passados mais de cinco anos da primeira cirurgia? Quem já fez mais ressonância, tomografia do que eu? Quem tem a veia mais difícil de puncionar que a minha? E a lista não pára por ái... Quando as coisas saem um pouco (ou bastante!) do planejado ou desejado, minha tendência é ficar bem chateada, afinal já sofri tanto na tempestade que já está mais do que na hora de ver a bonança.

Meu pai tem me ligado sempre e se mostra preocupado comigo. Ele sempre me pergunta o que aconteceu. Diz que eu, que sempre fui forte e otimista, tenho andado mais triste e reticente. Digo a ele que esta é uma forma de tentar me preservar um pouco. Sei que o otimismo é a chave da questão, mas não suporto mais cair do cavalo. Nos últimos meses, todas as vezes que pensei que a minha vida fosse finalmente entrar nos eixos, um tornado me varria para longe e me deixava no chão. Estou cansada de desabar. Dá muito trabalho juntar os caquinhos e começar tudo de novo. Às vezes bate um desânimo, um desespero, então prefiro gerenciar minhas expectativas e adotar a famosa atitude de "esperar para ver".

Sei que isto é o oposto do que rezam os livros de auto-ajuda. Aliás, eu queria muito gostar de livros de auto-ajuda, mas sou muito rebelde, ou como diz o povo por aí, espírito de porco, para deixar alguém me influenciar desta forma. Meu estilo argumentativo (será que existe esta palavra ou já estou misturando o inglês aqui?) me impede muitas vezes de crer em coisas que poderiam ser usadas a meu favor. Sou rebelde e desconfiada por natureza. Uma pena.

Mas pena é a palavra aqui. É difícil alguém que passou pelo que eu passei encarar a vida de um modo normal. É difícil que as pessoas ao nosso redor nos vejam como pessoas comuns também. Querendo ou não, nos tranformamos em heróis ou mártires ou simplesmente naquelas pessoas predestinadas a ter uma vida difícil. Desde pequena, sempre quis que as pessoas me vissem como uma lutadora, uma guerreira. Agora, no meio do caminho, mudei de idéia. Quero que as pessoas se lembrem de mim como alguém que é, que foi e que sempre será muito feliz. Não quero ser heroína nem vítima, só quero ser eu mesma. Só quero viver e ser feliz.

6 comments:

Mi said...

nossa, vc escreve muito bem!! gosto muito de ler suas impressões, aventuras, etc.... e em relação a este post.. acho q vc é apenas humana, não é? acho super normal vc sentir as coisas desse jeito. ninguém é de ferro!! bjos e boa sorte :-))

Fernanda - www.fernandafranca.com said...

Paz no seu coração, querida. Para entender, aceitar ou deixar passar, cada coisa na sua hora certa. Um beijo grande, Fê.

Isabella said...

Oi Dani, a blogagem coletiva será no dia 18/04, sexta-feira. Basta falar sobre o assunto e colocar o link pro site do Matthew:

http://www.matthewschierloh.org-a.googlepages.com/home

Obrigada pela perticipação!

Gisa Noda said...

Oii Dani, te conheço da casar e facil... e acompanho a um tempinho aqui o blog, acho que voce deve sim se permitir de vez em quando sofrer,afinal voce passou por tantas coisas nao e?

Mas nao pode deixar que isso se torne rotina, nao pense que ao ficar alegre ,logo vira outra coisa pra te deixar triste.... pense no hoje, e o amanha a Deus pertence.
Lindas as fotos do casamento, e seu vestido era lindo hein,o da casamento da sua amiga tambem.Beijos

Carlos Wilker said...

Olha, por mais auto-ajuda que isso soe (e deus sabe que não há alguem mais sem paciencia com auto ajuda que eu), temq ue levantar a cabeça e seguir em frente. Ser forte mesmo. e se apegar nas coisas boas que vc tem. é isso. Força ai!

Blog da Rose said...

Ola Dani, Confesso que estou admirada com tua forca,nao e facil passar pelo que vc passou ainda tao jovem...mas uma coisa te digo Deus tem um plano para sua vida ! e nao e pouca coisa nao! parabens pelo seu blog lindo, original e inteligente!estava a pesquizar sobre cancer de figado, pois meu pai foi diagnosticado ha 3 semanas,entao achei uma materia no seu blog! Vc e uma vitoriosa!bju