March 15, 2011

Breast Pump ou Bomba de Tirar Leite





Pessoal, não vale rir das fotos, por favor!

Nunca diga desta água não beberei, já dizia o velho ditado... Pois é exatamente esta a minha situação com meu mais novo objeto e fruto de uma relação intensa de amor e ódio. Estou falando da superpopular – ao menos por estas bandas – breast pump.

Jamais pensei que fosse usar e muito menos comprar uma, mas eis que estou aqui fazendo uso diário desta maquininha que nos eleva à condição nobre de vacas! Sim, pois o mecanismo é o mesmo, o produto idem, só que em versão supostamente high-tech.
No mundo das mães, nenhum assunto gera mais discussão do que amamentação. Todo mundo tem o que dizer e tem uma paixão enorme por suas posições, tanto a mulher que optou pela mamadeira ainda na maternidade, quanto àquela que só parou de amamentar quando seu filho de cinco anos disse “Vamos, mamãe, me dá logo as tetinhas!” (Antes que me perguntem, sim, é verdade. Uma amiga minha ouviu na casa de uma amiga dela. Parece lenda urbana, mas ela jura de pés juntos que é verdade.)

Enfim, todo mundo tem mil dicas, mil motivos e mil críticas ao que você vai fazer. Se você não amamenta porque não tem leite, dizem que é mentirosa. Se diz que vai amamentar até o bebê fazer sies meses, é acusada de exagerada. Se confessa que vai suplementar com fórmula é chamada de preguiçosa. E a lista continua...É bom começar a ligar o botão de “não tô nem aí” desde já.

No meu caso, achei que amamentar seria probolemático desde sempre, talvez pelo fato de que as mulheres da minha família não terem tido muita sorte no quesito “abundância”, mas como sempre, estava disposta a tentar. Depois de pensar muito, decidi nem incluir a tal breast pump, ou bomba de tirar leite, na minha lista. O negócio é caríssimo e eu não sabia se ia mesmo usar. Segui o conselho do meu chefe – sim, ele é homem mas é casado e sabe das coisas! – e aluguei uma profissional de uma das consultoras do hospital.

No início é muito estranho e dói! Mas amamentar nos primeiros dias também dói pacas, então sem muita escolha comecei a usar o tal aparelho e a ficar plugada na tomada por uns 20 minutos umas três vezes por dia. Pois é, mãe sofre. Só que aos poucos passa e você simplesmente se acostuma à dor, pois “ser mãe é padecer no paraíso”, lembra?

Hoje posso dizer que a bomba e eu somos melhores amigas. Somos tão amigas que na verdade tenho duas lá em casa: a alugada profissional e o modelo portátil que comprei para usar no trabalho. (Pois é gente, no trabalho também!). E o plano é continuar usando o bomba até o Joaquim completar seis meses ou quase. O quase é porque se eu tiver bastante leite congelado, posso parar antes.

A maioria das mulheres compra a bomba para ter leite extra para que o pai ou alguém possa dar a famosa mamada da madruga ou para poder dar uma fugida em alguma hora do dia, sem sacrificar o bebê. No meu caso, comprei para aumentar a minha produção e ter leite materno extra quando o Joaquim estiver longe de mim ou quando ele encrencar com meu peito. (Sim, isto também acontece de vez em quando. Já jurei umas 20 vezes que ele tinha enjoado do peito e só ia querer mamadeira, como todo mundo me assustou. Mentira, ele só estava de mau humor naquela hora e continua no peito até hoje!)

Nunca tive a ilusão de que poderia suprir 100% a demanda do Joaquim que desde que nasceu mama que é uma loucura. Ainda me lembro da segunda noite quando ele chorou das 10 da noite até às 8:30 da manhã e a minha irmã entrou desesperada no nosso quarto implorando para que a gente desse mamadeira para ele. "Acreditem em mim, este choro é fome! Eu conheço bem, tenho duas filhas. Pelo amor de Deus peguem uma mamadeira agora," ela disse quase chorando.

Fim de semana passado, ele com três meses, estava mamando UM LITRO por dia! Tudo bem que foi o que aqui chamam de “growth spurt”, ou crescimento acelerado, mas nenhuma vaquinha daria conta de tanta demanda! Então a bomba serve para manter a “produção” e para que eu possa aproveitá-la ao máximo. A verdade é que ele toma uma mamadeira de 100 a 180 ml depois de cada mamada. E eu acho que entre a minha votla ao trabalho e o humor dele, a tal bomba tem garantido que meu leite não seque prematuramente.

Então se você está pensando seriamente em amamentar e a) contempla voltar ao trabalho e continuar amamentando por um tempo, b) ter algum tipo de vida social longe do seu bebê, c) ter uma reserva de leite materno guardada, a tal bomba é um bom investimento. E conselho de quem pesquisou muito e passou muitas horas (mais do que devia) na internet, invista num modelo bom, nada de porcaria. Neste caso eu garanto que o barato sai muito caro! Se você vai mesmo usar a tal bomba e assumir seu lado Dairy Queen, nem pense em comprar aqueles modelos baratinhos manuais... Melhor ir se preparando para gastar entre $200 e $300. Se você quiser mesmo a tal bomba, me mande um email porque eu descobri o preço mais em conta, tipo $100 a menos que no Target e na Babies R Us.

A minha é a Freestyle da Medela e o diferencial dela é que como a bateria é recarregável, você não fica literalmente presa na tomada! Ela é bem levinha, pesa uns 400 gramas, e você pode andar para um lado e para o outro durante o processo. Pode acreditar, para mãe de recém-nascido que tem que limpar a casa, trocar fralda, lavar mamadeira e arrumar a cama, esta comodidade não tem preço.

Junto com a minha improvável aquisição da Freestyle comprei algo que sequer sabia existir até minha primeira visita à BuyBuyBaby: um handsfree bra, ou um soutien que deixa as mãos livres. Juro que da primeira vez que dei de cara com a tal mercadoria caí na gargalhada e fiz graça com o vendedor dizendo “Tem maluco ou maluca para tudo, né? Imagina quem vai comprar um treco destes?” Fast-forward para seis meses mais tarde: A maluca sou eu! E mais uma vez, juro que vale muito a pena. Afinal o que adianta uma bomba que te deixa circular pela casa se você tem que ficar segurando as mamadeiras enquanto as abastece. Pode confiar em mim e em todas as minhas amigas do Clubinho das Mães e colocar o tal item sui-generis na sua listinha.

Bom e de tanto falar em bomba e em leite, vou ter que ficar por aqui...

7 comments:

Só uma menina said...

Ai, kkkkkkkkkk Essas fotos são muto loucas mesmo e imagino você, andando de um lado pro outro, usando o tal do sutiã... Somos mesmo vacas leiteras, né? Adorei!!!

Lola said...

Eu tb usei muito a minha bombinha elétrica. Consegui manter o filhote no meu leite por um bom tempo depois de voltar a trabalhar. Mas Dani, eu não gastei tanto. A minha bombinha eu comprei no Walmart e foi $38!

Vale muito a pena. Eu congelava o leite em excesso e dava até pra doar. Doei leite pra caramba!

beijos

Dani said...

Paula,
É uma visão um tanto quanto perturbadora, né? Mas fazer o que?

Lola,
Você é uma felizarda! Tirar litros de leite com bombinha manual e ainda doar?! Eu nem chego perto! O que tiro é para "consumo interno" mesmo e suo a camisa para congelar porque se deixar o fominha do Joaquim mama tudo de uma vez!

Beijos

Anonymous said...

O SEU BLOG DEVERIA cHAMAR-SE AGORA MANUAL DE PRIMEIROS SOCORROS PARA MÃE DE PRIMEIRA VIAGEM.
Muito elucidador!!!!!

Lola said...

Nãaaoo Dani, não era manual, era elétrica. Bombinha manual é horrível, machuca demais.Essa bombinha era mega engraçada. Ela fazia sucção em ondas, simulando o movimento de se tirar leite de vaca (e tb do bb mamando). Segundo o fabricante, era pra ir estimulando a produção de leite enquanto vc tira. Eu acho que dava certo!

Eu tb não tinha muito leite, eu tomava muito, mas MUITO chá de anis pra aumentar pq o Daniel era um monstrinho mamador.

Posso te dar outra dica? Quando eu estava na lista de doadoras do Corpo de Bombeiros do Rio (isso mesmo, são eles que vão na sua casa coletar o leite "ordenhado), eles diziam pra não usar container de plástico pra armazenar o leite. A justificativa era que boa parte da gordura do leite fica grudada no plástico, o que não acontece no vidro.

PS: A lansinoh é ou não é um milagre?!

bjs

Dani said...

Adorei a sugestão de nome do blog...é engraçado como ele muda de acordo com as fases da minha vida!

Lola,
É verdade, já notei isto, a gordura fica no plástico sim. Principalmente quando você não congela e deixa na geladeira por uns dias. Eu lavo bem a mão e tiro...mas vou procurar uns recipientes de vidro também. Adorei a dica!!! Lansinoh é TUDO!
Bjs e mais uma vez, obrigada!

Anonymous said...

Olá Dani.
Não achei o seu email.
Mas queria saber onde vc encontrou o medela freestyle com preço melhor.
Aguardo sua resposta.
beijos,
Bruna