November 2, 2009

Por onde andam os ativistas?

Estou decepcionada com o movimento jovem de combate ao cancer nos EUA. Acho inaceitavel que num momento crucial quando se debate a reforma do sistema de saude norte-americano, com a excecao de Lance Armstrong, ninguem tenha ainda se pronunciado. Acho covarde e inadmissivel que este grupo que vive se encontrando em eventos por todo o pais e ao redor do mundo ainda nao tenha tomado uma posicao.

Nestas horas entendo porque tenho uma certa aversao a estes tipos de organizacao. Como se diz por aqui, no final das contas grande parte delas acaba virando um clubinho ou panelinha e esquecendo dos objetivos que supostamente os uniram. Todo mundo adora dizer que faz e acontece na luta contra o cancer. Todo mundo adora contar uma historia triste. Mas na hora de fazer barulho e luytar por mudancas, a coisa muda de figura.

Apesar dos avancos da medicina e das estatisticas que insistem em dizer que as chances de cura de um pacinete de cancer sao de 75%, eu vejo um quadro completamente diferente. Nos ultimos dois anos, o indice de mortalidade entre as pessoas que conheci e muitos daqueles que se tornaram meus amigos e de quase 100%. Embora todos me digam que as chances de cura sao altissimas nao e isso que tenho visto, nem nos EUA, nem no Brasil. E claro que a minha amostra nao e nada cientifica, mas perder tanta gente num periodo tao curto de tempo doi demais. Sera que por algum motivo desconhecido, acabei me deparando justo com os 25% que nao tem tanta sorte assim?

Provavelmente nao ha explicacoes e se algumas vezes podemos dizer, com a consciencia tranquila, que tudo foi feito para salvar a vida do paciente foi feito, mas nem sempre e assim. Perder a Lilian foi um baque. Nao foi uma surpresa pois ja sabiamos da agressividade da doenca dela. Mas uma coisa me traz consolo e e justamente saber que ela teve acesso aos melhores medicos, a todos os tipos de tratamento e que lutou arduamente ate o final. A familia dela, embora arrasada, sabe que os medicos fizeram tudo o que podiam e esgotaram todos os recursos no tratamento dela. E claro que isto nao serve de consolo para ninguem, nao vai trazer a Lilian de volta, mas e um sofrimento a menos.

O mesmo nao pode ser dito no caso da Thalita ou no caso da Lilia Maria, que poderiam ter se beneficiado de procedimentos e tratamentos que jamais chegaram a acontecer devido ao descaso das autoridades e a burocracia que pode matar mais rapido do que a doenca. Mas nao acontece so no Brasil. Ontem a Elizabeth disse que esta trabalhando com um outro paciente, um jovem de 28 anos, casado e pai de um menininho. Ele e jovem mas sempre trabalhou e tem algumas economias guardadas. Tem seguro-saude do emprego, mas infelizmente o tal seguro nao paga todo o tratamento dele e como ele esta internado, nao se sabe quanto tempo vai poder manter-se empregado, sendo assim, ele ve todas as economias de sua familia se esvaindo para custear o tratamento.

E nestas horas me pergunto: por onde andam os ativistas? Sera que nem um pouco do dinheiro levantado em caminhadas/corridas/cocktails pode ajudar esta familia que apesar de tao jovem ja esta passando por tanto? Se estas organizacoes nao servem apra defender os direitos destes jovens e suas familias, entao servem para que? De celebridades instantaneas e acefalas o mundo ja esta cheio!

2 comments:

Andréa N. said...

Dani, olha que legal esse blog: http://www.drewolanoff.com/

Beijao~ Dea

Dani said...

Legal mesmo, Dea!
Obrigada pela dica!
Bjs