October 29, 2009

Halloween é o ....


Tenho um segredo para confessar. Correndo o risco de ser tachada de chata ou estraga-prazer, digo que detesto Halloween. Vivendo aqui nos States, isto tem o mesmo peso do que um carioca dizer que detesta carnaval. É mais ou menos por ai... Claro que guardadas as devidas proporcoes. Halloween nem feriado é, entao o martírio é ínfimo se comparado aos quatro dias de carnaval para os que detestam a folia do Momo.

Não sei muito bem o motivo desta minha aversão, mas desconfio que haja varios. Em primeiro lugar, morro de medo de almas penadas, bruxas, vampiros e tudo do gênero. Vi o Fantasma da Ópera quando pequena e quase surtei, até para terapia tive que ir. Twilight?! Estou fora, nem pensar, pra mim a vida ja e assustadora o bastante. Já vivo estressada naturalmente para que procurar razões sobrenaturais?

Também não gosto de me fantasiar. Acho que este tipo de coisa tem data de validade. É fofo em crianças, mas em raras exceções, em adulto parece coisa de retardado. Não nego que já tenha ido a muitas fantasias no Rio, estilo Tere Fantasy e coisa do tipo – aliás quem nunca foi a uma destas? Mas o stress de procurar fantasia é totalmente desnecessário. Nunca me esqueço de uma vez que aluguei uma fantasia pra mim e outra para a Andressa, uma dançarina de flamenco e outra de dançarina do ventre. No final, nós duas queriamos e mesma fantasia e quase saimos no tapa!

Mas acho que o grande trauma vem mesmo dos meus tempos em Nova York, quando a parada de Halloween acontecia na minha rua e justo na vespera do meu aniversário, quando eu sempre me organizava para o dia seguinte, comprando coisas para a festa. Alguém já experimentou atravessar a Sexta Avenida no meio da parada? Melhor nem tentar... Coisa infernal! Eu, que já sou estressada por natureza, morria de vontade de esganar todo Drácula ou Frankenstein que me aparecesse pela frente. Nem as simpáticas vaquinhas holandesas escapavam da minha ira...

Mas os anos foram passando e eu quase me esqueci desta minha implicância...até que voltei a morar aqui. E não é que hoje recebo um memorandum simpático da diretoria do emprego novo “convidando todos a vestirem suas fantasias amanhã”!

Ninguem merece...muito menos eu! Será o fim do meu inferno astral? ;)

5 comments:

Cristina Simões said...

~Moro em Portugal,sou Brasileira,,,detesto pagode,carnaval,samba,praia...e hallowen...

e ta tudo dito....
beijinhos

Ana said...

"Também não gosto de me fantasiar. Acho que este tipo de coisa tem data de validade." ha ha ha. Entendo perfeitamente. Mas das crianças eu gosto, adulto eu acho meio over. Beijos.

paulaalves00 said...

Eu também detesto Halloween e olha que sendo diretora de escola de inglês isso é totalmente fora dos padrões, mas sei o motivo. Cansei de levar bronca de mãe crente quando fazia as minhas festinhas aqui na escola para as crianças... Por isso, me revoltei e não faço mais festas de Halloween para evitar constrangimento para as muitas criancinhas que querem participar e os pais, com suas crenças, não deixam!!! Dei um basta e pronto.

paula said...

Dani, você é muito engraçada, rsrsr, nunca tinha ouvido falar de alguém que odeie deste jeito, eu acho meio bobo, mas é porque no Brasil não existe Halloween, se eu morasse aí...talvez gostasse.
Acho que sou meio louca, sei lá, mas eu ADORO vampiros, essa serie da HBO True Blood, eu simplesmente AMO, o Neto não acredita, outro dia ficou "chocado" com as cenas, e eu adoro, gosto de tudo que é filme de terror, pode até ser os mais trash, eu gosto, o Neto detesta, acho que ele tem medo, e não quer falar, rsrsrsr, mas cada um, cada um, nunca tive companheiros para ir ao cinema comigo ver esses filmes, então, tenho que ir sozinha e sair morrendo de medo, rsrsrsr!!

Bjsss,

Paula

Paulça

Cristina said...

Dani,
tô chorando de rir rsrs Eu adoro qq festa né, então já fui a muitos halloweens maneiros. Foi a fantasia mais fácil da minha vida - blusa preta, calça preta, sombra preta, pq já tinha cabelo de bruxa ha ha.
O que mais me chocou é que em Carmo do Rio Claro, sul de Minas, 21 mil habitantes, as crianças pedem doces na porta.
Acho que a diversidade é o melhor nesse caso. Vc que não gosta não se veste e quem gosta se veste, assim ninguém fica chateado. rsrs