April 11, 2011

Quatro Meses, e daí?

Post curtinho para dizer que a vida aqui continua punk. Semana passada o Joaquim pegou suma primeira virose, tadinho! Mas é claro que não poderia ficar por aí…o Blake ficou doente também e, como era minha primeira semana full-time no trabalho, tive várias reuniões todos os dias! Ou seja, sem o Blake para me ajudar – ele ficou de cama dois dias – fiz literalmente das tripas coração par adar conta do recado.
Claro que ele sempre tentava me dar uma mãozinha, mas o coitado esta péssimo e o Joaquim comendo pouco e acordando de duas em duas horas… Passei umas duas noites em claro e o resto da semana acordei várias vezes. Virei zumbi!

Já sabíamos que ele iria ficar doente depois que entrasse para crèche, mas como dizem os medicos, a troca de virus é uma das funções da crèche e quem está na chuva é para se molhar. Nós estamos completamente ensopados!

Como se não bastasse, ontem comecei o dia na clínica de emergência com uma infecção na bexiga – ah, as alegrias do parto… -- e terminei no Sam’s Club, também conhecido como WalMart anabolizado! Lógico que o Joaquim foi a tiracolo e se portou superbem. Certamente saiu a mãe…dá a vida por uma rua!

Ah, sobre o título do post, fica a minha pergunta para todo mundo que me dizia que com quarto meses as coisas entrariam nos eixos… Só esqueceram de avisar par ao Joaquim, que ainda acorda a madrugada toda e berra de fome e de tédio! E quando digo “berra” é berro mesmo, nada de chorinho de criança que passa despercebido!
Bom, agora só me resta esperar pelos SEIS meses…sera que até lá a coisa melhora?

Se você gosta de aventura e não precisa de sono, tenha filhos!

8 comments:

Mirna R. said...

Dani, eu adoro seu blog e te acompanho há muito tempo, mas sempre tive um pouco de vergonha de comentar pq não sabia direito o que dizer, mas tenho percebido sem querer (já peço desculpas antecipadas pela intromissão), que pelos seus últimos posts, vc parece estar bem cansada e imagino que ter que fazer tudo sem a ajuda e apoio da famíia, deva ser difícil mesmo. Te acho até guerreira por estar conseguindo conciliar filho pequeno e trabalho integral. Tiro meu chapéu pra vc 100%, mas será que não tem como vc arrumar uma babá ou alguém que possa passar algumas noites com o Joaquim para q vc possa descansar mais? De repente alguém da família do seu marido ou uma amiga brasileira? Juro que se morasse perto de vc, eu me ofereceria! rs
Ter um bebê ainda tão pequeno e trabalhar o dia inteiro, é dureza mesmo, mas acho que de repente toda essa canseira esteja te impedindo de aproveitar e "sentir" mais o lado bom da maternidade, porque parece que até agora, vc já está craque na parte não tão boa! rs
De repente, se alguém pudesse passar as noites com o bebê, vc poderia recuperar sua energia e ânimo. Sinto um pouco por vc, mas vc já provou que é mega guerreira e não vai ser um serzinho de 4 meses que vai roubar suas as energias :)
Te desejo tudo de bom e se puder arrumar alguém para tomar conta do baby pra vc, não tenha orgulho não e aceite a ajuda. Até pq, se vc está sempre exausta, com certeza isso vai interferir na maneira como vc lhe dá com seu filhinho e marido. Vc vai ver como umas horas a mais de sono, vão te fazer acordar se sentindo outra pessoa! rs
Muitos beijos e que tudo se ajeite por aí!
Mirna

Só uma menina said...

Dani, acredita que até hoje o Miguel acorda pra mamar durante a noite? Vai fazer dois anos mês que vem. Preciso dizer mais alguma coisa? Aff...

Dani said...

Mirna,
Obrigadíssima pelo carinho, pela visita e pela preocupação.
Estamos pensando nisto sim, em uma judinha na parte da noite... Infelizmente não podemos contar com a família do meu marido e eu não tenho amigas disponíveis por aqui -- todo mundo casado com filhos pequenos ou morando longe -- então vamos ver se a Consuelo pode nos dar uma ajuda. Ela é realmente nossa melhor opção uma vez que pelo menos o Joaquim já está acostumado com ela, o que não acontece com as outras pessoas.
Como você pode imaginar, estou contando os dias para nossa viagem ao Brasil, em julho!
Beijos e mais uma vez, obrigada pela torcida!

Daiane said...

oi

Daiane said...

Olá Dani, li num site tudo o q vc passou e quis participar de seu blog.Vc é uma pessoa admirável por tudo o q já enfrentou!
Há umas duas semanas ando sentindo uma inchação e uma leve dorsinha no lado direito próximo à costela (acho q é o fígado) e nunca sentira isso antes.
Sou uma pessoa q me estresso muito (professora) e às vezes fico deprimida. Li num site q pessoas assim tem predisposição a um dia desenvolver o câncer. Porém sou nova (tenho 29 anos) e não costumo beber. Mas qdo li a sua história passei a me preocupar. Acho q vou procurar um médico.
bjs.

Dani said...

Daiane,
Obrigada pela visita e pelo carinho. Quanto a sua dorzinha, vá ao médico, sim, só para tirar a dúvida. Mas não há de ser nada... Me disseram que fígado não doi e que quando a gente sente dor, normalmente é a vesícula -- bem menos grave. Espero que esteja tudo bem com você e mande notícias!
Quanto a ficar deprimida e estressada...infelizmente acho que de certo modo estes males afetam a todos nós.
Beijos

Luciana Bordallo Misura said...

Dani, a gente tambem perguntou 4 meses e dai, 6 meses e dai, 1 ano e dai...as crianças são todas diferentes mesmo, não tem jeito. É barra pesadíssima mesmo, não tenho saudade dos primeiros meses não.

Dani said...

Lu,
O que me consola é saber que a Julia é uma criança ótima hoje! para mater o humor e a coragem, vou focar no longo prazo!
Beijos